Você consegue sozinha.

Screenshot008

Sabe, hoje eu li um texto que falava de como a gente se agarra a coisas desnecessárias pra se sentir mais seguro. É o boy que a gente sabe que não é bom pra gente, mas que a gente não quer deixar ir porque tem medo de ficar sozinha, é a casa dos pais que a gente tem medo de deixar e depois não conseguir se virar por conta própria, é a profissão que não faz a gente feliz, mas que a gente fica porque tem medo de não dar certo se começar outra do zero.

E isso é uma merda. Porque a gente tem tanto medo de ir sozinha? Porque sempre acha que não vai dar pé?

É tipo quando você é pequeno e seus pais falam que vão tirar as rodinhas da bicicleta. No começo você não quer de jeito nenhum, mas aí algum parente fdp muito legal e consciente, vai lá e tira, e você não tem outra opção a não ser aprender a andar naquela merda. Mas aí aprende e percebe que, realmente, você não precisa das rodinhas, a bicicleta funciona perfeitamente bem sem elas. Você consegue sem ajuda.

Essa é a real entendeu? Você consegue sem ajuda.

Talvez com ajuda seja mais fácil/confortável/agradável, mas você não PRECISA disso.

Então para um pouco e dá uma olhada na sua vida, o que tem aí que você realmente quer/precisa e o que está servindo de muleta? Tira as muletas, você não precisa delas e quanto antes você perceber isso, antes você vai conseguir atingir seus objetivos sem depender dos outros.

E não venha me dizer “é fácil falar, mas fazer é outra coisa” porque eu sei bem disso. Manja o limbo dos relacionamentos? Pois é, eu cheguei lá, abri um alçapão, desci três lances de escada e agora estou aqui, no calabouço do limbo dos relacionamentos. E pelo que eu ouvi dizer ainda pode ser que eu desça mais. Mas tudo bem, porque o que interessa é que meu cabelo continua crescendo e eu estou magra. Diva. Angel da Victoria’s Secret. Então foda-se, eu vou sobreviver. E você também, é só uma questão de tempo.

Anúncios

Eu não vou dar nota pra você passar de ano.

Screenshot002

Desculpa.

Mas se você está esperando que eu facilite, esqueça, não vai acontecer. Eu não sou do tipo que vai fechar os olhos, fingir que não está vendo a conversa com a menina no seu celular, acreditar que você está genuinamente ocupado e por isso quase não tem tempo pra mim. Que o fato de você entrar 800 vezes no whatsapp, mas só me responder uma vez por dia, não tem nada a ver comigo e tudo a ver com o fato de que você realmente não é muito chegado em redes sociais.

Eu não vou vestir o macacãozinho de trouxa e dizer que “nós precisamos conversar”, não se preocupe. Eu não vou dar nota pra você passar de ano.

A possibilidade de entrar em um relacionamento sério comigo não é o tipo de coisa que eu vou entregar assim de bandeja, não vai ser aquela escolha amarga de remédio pra tosse que você aceitou porque não tinha outra opção, o brócolis no prato da sua sobrinha. Não, não baby, esse é o tipo de coisa que você precisa fazer por merecer, precisa lutar por, precisa mostrar que é digno da honra, do contrario esqueça. Eu tenho meus próprios planos.

Posso até estar morrendo de amores por você, é verdade, mas eu sou e sempre serei loucamente apaixonada por mim e infelizmente (pra você) eu acho que mereço mais do que você está me oferecendo. Mas não pense você que eu vou cobrar nada, longe de mim, esse tipo de coisa a gente não cobra, tem que vir de boa vontade senão, não serve. Então não se surpreenda se um dia eu simplesmente desaparecer, melhor assim, afinal de contas, não teria o menor sentido discutir o fim de uma relação que nunca existiu.

Sem raiva, nem desamor. Que num futuro a gente se encontre pra criar outras boas lembranças.

Eu não sei ler sinais.

sheep

Existem seres evoluídos que sabem ler mensagens subliminares, eu não sou um deles. Eu não sei ler expressões faciais, nem corporais e muito menos mensagens subliminares em curtidas no Facebook. Às vezes eu tenho dúvidas até se a aquela cara feia é pra mim mesmo ou para o quadro que está atrás de mim na sala, quem dirá aquele seu chaveco dúbio por Whasapp. Então eu faço aqui um apelo:

Homens do meu Brasil sejam claros.

Não puxe assunto se você não está afim, não de trela se você não sabe o que quer, FALE as coisas. É sério, ninguém vai te crucificar porque você não sabe o que quer, ou porque você sabe que não quer nada sério, mas pelamordedeus dá um alô pra pessoa do outro lado saber o tamanho da enrrascada e ter a chance de escolher se quer ou não entrar nesse barco.

Enfim.

Estou saindo com um boy Magya Negra já faz umas luas e aparentemente ele é o rei das mensagens dubias, ou seja, surto uma vez por semana. Hoje pela manhã, por um acaso, foi um desses momentos de glória, quando todos os meus amigos se juntam pra confirmar que sim, eu sou a louca, e não, ele não está me dando um fora.  Ainda. Eu realmente não sei que aula de interpretação de texto eles andam frequentando, mas aparentemente todos foram na mesma porque não é possível! Fico chocada como eles enxergam a mesma coisa, aquela coisa linda que eu simplesmente não consigo ver.

Por duas vezes eu já li mensagens dele e pensei “Gente não tá afim, tá claro que não tá! Vou desencanar, ser uma mocinha crescida e parar de falar com ele antes que ele comece a me ignorar” e aí vem algum amigo e diz pra eu parar de ser louca “fazendo o favor”.  Então cheguei à conclusão que realmente eu não sei lidar com pessoas e que em vidas passadas eu devo ter sido uma porta.

E não vamos nem entrar no mérito do “Acho que ele está pegando outra” porque eu tomei a sábia decisão de não pensar no assunto até que me apresentem provas concretas. Um, porque mesmo que ele esteja não há nada que eu possa fazer, e dois, porque estou poupando a minha imaginação fértil AND uma úlcera que já estava pra aparecer.

Enfim, o que acontece é que a cada mensagem nova eu convoco uma reunião com meus amigos pra saber “O Que Este Ser Humano Está Me dizendo Aqui” e a dessa semana foi à recusa de um convite meu. Porque sim, eu vesti a minha roupinha de trouxa e fui lá convidar ele pra sair. Pra começar que só pra fazer o convite foi toda uma novela, a gente nunca sabe quando vai poder tomar essas liberdades sem que o outro pense que você é uma desesperada. E então me vem a resposta “Puts, não posso essa sexta :/“.

Perceba, ele não disse “nesse dia não posso, mas vamos marcar domingo/semana que vem/ dia 31 de Fevereiro” como toda a humanidade sabe que é o comportamento normal de uma pessoa que está realmente ocupada, mas tem interesse em sair com você, ele disse “não posso” e um beijo, me liga. O que você leitor, interpreta dessa mensagem?

“Oi, foi legal, mas não estou mais tão interessado, favor retirar seus pertences no caixa”.

Mas aparentemente eu estou errada, porque de acordo com meus amigos isso foi apenas um “oh wait!”, porque nós já estamos saindo há um tempo e ele não está a fim de se amarrar quer apressar as coisas, não é mesmo?!

E ainda tem aqueles que dizem que nada disso foi sinal algum (sabe de nada inocenchty) e que foi apenas uma pessoa que estava genuinamente ocupada, e que homens são lerdos e ele nem sequer pensou em toda essa repercussão.

Interpretações a parte, pra mim a mensagem foi e sempre será:

“He’s not that into you”

Nesse momento estou jogando no lixo todas as expectativas que eu criei, alimentei, vesti e contei histórias pra dormir, ligando novamente o nosso amigo Botão do Foda-se e já combinando a balada cazamiga. Porque afinal de contas, o mais importante é que meu cabelo continua crescendo.

Maturidade, esse monstro que come criancinhas.

10259877_10152051828797507_6578155636590393710_n

Sabe, é difícil admitir, mas chega um dia que a gente precisa reconhecer que cresceu. As festas de faculdade já não têm mais pessoas da sua idade, seus amigos começam a casar, encarar a ressaca já não é tão fácil e o principal: a gente começa a pensar no que faz.

O principal sinal de que você já é um mocinho (a) crescido (a), é quando você quer muito fazer uma coisa, mas não faz porque SABE que vai dar merda em algum momento. E eu tenho feito muito isso, então tenho conhecimento de causa pra dizer que é uma merda. A sua consciência está constantemente de traindo, é como se o lado do anjinho ganhasse 90% das suas discussões mentais. Mas tudo bem porque em algum momento todos teremos que passar por isso, te faz uma pessoa melhor, ninguém gosta de gente infantil.

Mas as vezes, bem as vezes, você se pega pensando como seria tão mais fácil só fazer as cagadas e tudo bem, depois você resolve, as vezes a gente é maduro por costume e não por vontade. Digo isso porque recentemente eu me ferrei, pra variar (risos, muitos risos), com um moço graças a minha maturidade e, não que eu esteja arrependida, porque eu não vou dar o braço a torcer sei que no fim das contas foi melhor assim, mas digamos que se eu pudesse voltar no tempo alguns capítulos da história sofreriam leves modificações.

Mas enfim, senta que lá vem a história.

Começou com o clássico, garoto conhece garota, acontece que, o garoto não valia nem um um tufo de cabelo velho e a garota valia pelo menos o último gole do Yakult. E aí que a garota, que no caso sou eu, não pegou o cidadão, mesmo tendo inúmeras chances, porque ela sabia que, se ela pegasse, ele provavelmente sumiria da vida dela forevis e ela não queria isso, porque apesar de tudo, o cara era legal e eles se davam bem. Então ela chegou a conclusão que era melhor ter um amigo putão, porém insanamente legal, do que um ex peguete legal, porém cafajeste. #alinhandoexpectativas

Porque amigos fazem diferença na vida da gente, ex peguetes não.

E sempre tem aquele lado Sandy do seu cérebro que acha que um dia ele vai deixar de ser cafajeste e aí quem sabe né?! Tudo pode acontecer… Tudo, inclusive ele conhecer uma quenga e começar a sair com ela. Né?! A gente nunca pensa na pior das hipóteses.

Bom, nem preciso dizer que eu rodei, que eu estou com um ódio mortal dessa mina e espero que ela fique careca nas próximas 24 horas (ti cuida mina, que a minha praga pega). Se a culpa é dela? Não. Se é justo? Não. Se eu estou ligando pra isso? Não. Eu sei que eu não tenho direito de sentir ciúmes porque a cagada foi minha, que não sei o que quero da vida e fico querendo controlar o mundo e, como disse minha amiga, “Não vem com essa, porque eu te conheço e se você quisesse mesmo tinha pego”. Mas paciência, não é questão de ter direito ou não, eu não estou indo lá bater na porta dele pedindo explicações, eu estou tendo o meu chilique aqui, quietinha, acendendo a vela da macumba sem fazer escândalo.

Masss… Agora que a cagada já está feita, o que me resta é deletar este bofe da lista de possibilidades, ligar o foda-se e esperar minha amiga que está voltando de viagem em 3 semanas me trazendo um batom mara e que vai comigo para todas as gandaias deste planeta.

Porque bofes podem ser passageiros, mas amigas que te trazem maquiagem de London, essas são pra vida toda.

Não vai rolar.

Captura de Tela 2014-09-30 às 15.18.19

Existem dois grupos de caras que tomam foras: o grupo dos Não Quero e o grupo dos Acho Melhor Não.

O grupo dos Não Quero são aqueles que eu não tenho o menor interesse em pegar, simples assim. A culpa não é sua, a culpa não é minha, a culpa é do universo que não colocou química nessa relação. Neste grupo estão aqueles caras que não tem a menor chance, não importa quantas vezes e nem de quais maneiras eles estão chegando em mim.

É uma questão de interesse, eu não me acho melhor que ninguém, é só que existem pessoas que estão afim e pessoas que não estão, assim como existem pessoas que gostam de alho e pessoas que não gostam e, no caso, eu estaria neste segundo grupo. Exemplo:

Tem um carinha afim de mim. Mas não é qualquer carinha, é um amigo de uma amiga minha, que eu já conheço há algum tempo, leia-se, que eu não quero pegar a algum tempo, já que, desde então, o menino chegou em mim pelo menos umas 15 vezes (chutando baixo).

Fico me perguntando o que passa pela cabeça desse indivíduo, quando ele resolve chegar em mim mais uma vez depois de tantos foras. Porque veja, eu já expliquei pra ele de todas as maneiras delicadas (e indelicadas também), que não vai rolar MEIXMO, que ele é muito legal e tudo mais, mas que deste mato não vai sair coelho, então que ele deveria PARAR de tentar, porque já está começando a ficar chato. Mais clara que isso só se eu disser “Querido, eu estou mais inclinada a entrar para um convento do que para mudar de ideia quanto a ficar com você”, lembrando que eu estou para o convento assim como os golfinhos estão para voar.

Mas aparentemente a audição dele está com algum problema, visto que, ele CONTINUA tentando. Esse é brasileiro.

Já o grupo dos Acho Melhor Não (mais conhecido como Bom Senso), são aqueles que, em situações normais, teriam TODAS as chances do mundo com você (leia-se: aqueles dignos do “Me pega, por favor? To pedindo com educação“), mas que, por algum motivo, você acha melhor não pegar.

Podem existir vários motivos pra isso acontecer, mas o mais comum deles é quando você sabe exatamente que tipo de traste é aquele, e simplesmente não quer aquilo na sua vida. É só. Exemplo:

Eu tenho amigos cafajestes. Eles são ótimas pessoas, eles são lindos, inteligentes, simpáticos, rhycos, educados, mas eles não valem nem uma coxinha COM cabelo. E eu sei disso, aliás, todo mundo sabe disso, então chegamos ao acordo que seriamos amigos (eu cheguei no acordo na verdade, pra eles, se fizer sombra eles estão pegando), não porque eu não queira pega-los – Deus, dai-me força de vontade – mas porque eu NÃO VOU me colocar nesta situação que eu sei como vai terminar. Mal.

O problema é que, pra esse segundo grupo a chance existe, e eles sabem disso, então dependendo do tamanho da vontade (ou da birra) deles, eles acabam conseguindo te convencer de que nem tudo é tão horrível quanto parece, que nem todo príncipe é sapo e que no final tudo vai dar certo. E todo mundo sabe como essa história termina néam?!!

Mal.

O causo é que nenhum desses dois grupos é próprio para consumo, ou para relacionamentos, e ultimamente é só o que tem me aparecido, ou seja, minha vida amorosa está tipo as eleições presidenciais: só candidatos inviáveis.

Eu queria muito gostar sinceramente de algum dos candidatos do primeiro grupo, eu juro que queria. Ou que os bonitinhos do segundo grupo resolvessem ser decentes uma vez na vida.  As coisas podiam ser simples, tipo aquela música da década de 70, “I want you to want me” e é isso, tudo ia ser tão fácil, massss… Se fosse fácil não chamava vida, chamava biscate.

Agora meninas, como eu ouvi (de uma gênia, parabéns, clap, clap) outro dia na balada:

Mais do que razão, mais do que dinheiro, na vida é importante ter: critério”

Não era amor, era falta do que fazer.

Captura de Tela 2014-03-25 às 01.26.15

As vezes a gente pensa que está apaixonada, na verdade a gente tem certeza que isso está acontecendo, os sintomas estão todos lá: o frio na barriga, a obsessão pelo celular, aquela alegria toda vez que recebe mensagem do fulano, a espera inútil pelo convite para um cinema, a masturbação mental do “será que ele me quer, será que dessa vez vai dar certo”, está tudo ali. Você está toda bobona pensando o se o fato de ele ter demorado mais de 10 minutos pra te responder quer dizer que:

a) Ele não te quer mais, já está pegando outra e essa é uma tentativa sutil de te dizer pra não puxar mais assunto, esqueça ele.

b) Ele está ocupado, fazendo alguma coisa importante do tipo, sei lá, vivendo. Já que ele é uma pessoa normal que não vive grudada no celular.

Eu sou o tipo de neurótica que sempre pensa na primeira, mas, secretamente, eu sei que a segunda é a resposta certa em aproximadamente 70% dos casos.

Enfim, o que acontece é que em algum momento todo mundo passa por isso e comigo não foi diferente, estava eu toda besta, gastando ATPs para descobrir se deveria usar um ou dois pontos de exclamação para responder a mensagem do indivíduo, quando cheguei para o almoço com uma grande (e sábia) amiga minha. E quando contei pra ela meu dilema e perguntei a sua opinião o diálogo foi mais ou menos esse:

– O que você quer com ele?

– Quero sair com ele.

– Ta, e o que mais?

– Não sei, não pensei nisso ainda.

– Amiga, deixa eu te contar, você não precisa de uma furadeira, você precisa de um buraco na parede.

– Como assim?

– Como assim que você não quer ELE, você quer um date. Alias, se eu te conheço bem, você só quer estar saindo com alguém, então ao invés de ficar aqui gastando energia com o boy que está se fazendo de difícil, mande uma mensagem pra aquele outro que vive correndo atrás de você.

E sabe de uma coisa?! Foi exatamente o que eu fiz. E sabe de outra coisa?! Foi o melhor conselho que alguém me deu na vida.

Galera se está difícil, está errado. Escolha outra vítima e move on.

Homem é foda.

Captura de tela 2013-05-31 às 00.50.34

Que mulher, neste planeta ou em qualquer outro, já não pensou isso alguma vez na sua vida? E se você ALIEN, nunca pensou isso, o problema é seu, Jesus tinha 12 apóstolos e nenhum deles pediu a sua opinião.

Enfim, estava eu no Tinder (sim Brasél, eu tenho Tinder), achei um boy blindado, lindo, rhyco, simpático, tudo de bueno. Me deu bola? Yep! Pediu o Whats? Yep! Agora fazem duas semanas que estou de papo furado com ele, foto pra lá, mensagem de áudio pra cá pergunta se o nego resolveu sair comigo? Não.

Gente, eu não sei vocês, mas eu não estou à procura de um namorado virtual. Agora, me corrijam, por favor, se eu estiver errada, se o bofe manda mensagem pra você TODOS os dias (ninguém pediu, mandou porque quis) você imagina que ele tem interesse em te conhecer néam? Ou isso, ou ele curte perder tempo, porque não há outra explicação.

Minha amiga disse que judeus são mais lerdos, e dai fiquei eu pensando que ele deve ser judeu, porque NÃO É POSSÍVEL!

Enfim, o boy blindado está fazendo doce, então enquanto isso eu invisto nos outros 3179097 boys da minha vida, porque homem é o que não falta nesse mundo né?!

Se eu fico na #chateada porque o cara não está me dando o tanto de bola que eu gostaria? Claro que fico! Se eu penso que talvez vamos ter que adiar os planos de casamento? Claro que penso! Mas a vida continua gente, I have no time for drama e você também não deveria ter.

Porque, como já disse a nike, aqui é assim: No games. Just sports.