Diga-me com quem namorou e eu te direi que já fuçei a vida dela.

Screenshot004

Existe um bicho, dentro de cada um de nós, chamado curiosidade. E é ele o responsável por fazer você disseminar todas as redes sociais do seu bofe até achar a ex dele. Não importa se você vai ter que voltar 236789 weeks no Insta, ou se você vai ter que ficar horas fuçando cada um dos anos do perfil no Face até achar um post, ou uma foto, ou qualquer que seja o fio de cabelo no paletó, que te diga, com certeza absoluta, que aquela é a ex. Porque como já dissemos aqui:

Mulher precisa saber, isso é tudo que importa.

Isso costuma acontecer depois que ele cita a menina, porque até então você fechava os olhos para o fato que um dia aquela pessoa teve uma namorada, a gente gosta de se enganar.

E quando ele sem querer chama a menina pelo nome?! Se tem uma coisa que me deixa mais na nóia que isso, desconheço. Porque uma coisa é ele dizer “minha ex” e outra coisa é ele dar nome para o monstro, perceba, Minha Ex é como um ser mítico que um dia esteve presente na vida dele, ela está na mesma categoria do Bicho Papão e o Homem do Saco, exatamente onde nós queremos que ela permaneça. Obrigada.

Eu acho que nós, mulheres, somos programadas pra odiar ex-namoradas, a mina pode ser a gêmea da Olivia Palito, você vai olhar e dizer “Alá o supositório de baleia”. Parte disso é porque nos sentimos naturalmente ameaçadas por aquela menina que um dia já despertou o interesse do seu boy, mas a principal razão é porque você sempre acha que a ex do cara vai se parecer com você, ou seja, vai ser no mínimo maravilhosa. Secretamente, você quer olhar o perfil da menina e pensar “seria amiga dessa mulher, ela deve ser legal” porque isso quer dizer que ele só se interessa por pessoas legais e incríveis, e que você está nesse seleto grupo. Então quando você percebe que a menina não passa de um ser humano comum, meio idiota, com cara de fofa que te irrita, QUE AINDA NÃO TIROU O STATUS NAMORANDO DO PERFIL, você passa a odiá-la, por ter destruído seu sonho azul.

Quem não tira o status namorando do perfil depois de ter acabado? Fala pra mim com que tipo de animal estamos lidando?

A partir de então você, inevitavelmente, começa a se comparar com ela. Pensar que talvez você também seja fofa, ridícula e sem graça e ninguém te contou, ou pior, que talvez você não tenha nada a ver com ela e isso quer dizer que o bofe nunca vai te amar porque você não é o tipo dele. E essa possibilidade te deixa revoltada, porque afinal de contas você é a diva com cabelo de comercial de shampoo, você sabe combinar estampas, você fala 2 línguas e meia e lê Bukowski no seu tempo livre. Você vai na fucking academia e você é legal.

Porque motivos esse cara que você acha tão incrível namorou essa menina? E mais importante que isso, porque ele ainda não mandou ela mudar esse status porque ela tá passando vergonha te chamou pra sair essa semana, afinal de contas você dá de 1000 nela, todas as suas amigas te falaram. Ele mesmo já apontou vários defeitos horrorosos dela (que você não tem), em conversas casuais, que ela era um grude, que ela era burra, que tinha um péssimo gosto musical, então porque? A essa altura do campeonato já era pra ele estar te pedindo em casamento!

E então você entra em parafuso e começa a pensar no pior, porque nada, NADA, supera a nóia de que eles ainda estão se pegando.

Você começa a criar cenários onde TODAS AS VEZES que este encosto está online no caralho do Whatsapp e não está “Digitando” pra você, ele está falando com a mina, óbvio. Em nenhum momento passa pela sua cabeça que talvez ele esteja falando com o chefe dele, com a mãe dele, com o melhor amigo sobre videogame, nãããaaaooo… Porque nesse momento você não está mais sendo racional, aceite.

É claro que a partir daí você passa a odiar o menino, como ele pôde te trocar por aquela ex, ridícula. Já está fazendo uma macumba pro cabelo dessa mina cair. Porque alguns homens gostam de mulheres chatas?

Não digo só chatas no sentido de implicantes, estou falando chatas no sentido “boring”, sem sal, desinteressantes, clichês, sem noção, FOFAS QUE ME IRRITAM. Aquele tipo que você olha a foto e diz “já vi tudo”, não tem mistério, nem glitter de carnaval em dia de semana (porque isso é essencial). É só o que está ali, uma meia dúzia de selfies, com uma “cover photo” de praia e o mesmo penteado em todas as fotos disponíveis.

E ele namorou com isso.

Então talvez ele também seja ridículo e chato, talvez ele não seja pra você, aliás, é exatamente isso, ele definitivamente não é pra você, agora você já pode desencanar e ser feliz, não precisa mais se preocupar se ele vai responder suas mens…

…OOOOUNNNNN ELE MANDOU MENSAGEM

E assim o bofe ganha mais algumas horas de validade, até a próxima nóia bater à porta. Só não se esqueçam que homem normalmente tem mais de uma opção, nunca duvide da filhadaputice de ninguém. E se ele realmente preferir a ex, querida, o problema está nele, não em você.

Anúncios

Cadê o bom senso?

Screenshot001

I know, I know, eu ando meio sumida, mas a culpa não é minha, é da vida, culpem a vida. A vida e a falta de bom senso, eu não sei o que anda acontecendo com o mundo, mas alguma coisa claramente anda acontecendo porque não é possível!

Vamos começar com o meu professor. Eu tenho um professor, uma vez por semana ele me dá uma aula à noite que toma 4 horas do meu dia. Esse mesmo professor tem ciência que em outros 3 dias da semana eu, e todos os outros alunos da sala, temos 3 outras aulas diferentes, todas também com 4 horas e que 90% da classe tem empregos, de 8 horas diárias no mínimo porque temos contas pra pagar. Além disso, nós ainda comemos, dormimos e moramos em São Paulo, o que nos faz gastar 1 hora e meia em trajetos de 15 minutos. Mesmo sabendo de tudo isso este ser humano escolheu mandar três entregas de trabalhos semanais SÓ para a aula dele. Agora fala pra mim, onde está o bom senso? Porque sinceramente não é uma questão de preguiça, é uma questão de “O dia tem só tem 24 horas meu querido, nem tudo é sobre você”.

Mas então estávamos na balada e chega um cidadão falando DENTRO do ouvido da minha amiga – saudades espaço pessoal – e ele diz:

– Blá,blá,blá.. é que eu não sou de São Paulo… 

Migo isso está claro, pelos seus modos deve ter vindo de um buraco na selva ALOW MOGLI!

Mas é claro que a minha amiga, que é uma pessoa fina, apenas deu um passo a frente para se distanciar do Menino Lobo. Após repetir esse procedimento pela terceira vez sem sucesso, eu resolvi intervir porque eu não tenho noção do perigo e não consigo assistir homem sendo escroto sem fazer nada. Então com toda a minha assertividade eu disse “Some, ela não quer nada com você” e ainda fiz um Xô com a mãozinha. Lembrando que eu tenho 1,59m então essa sou eu arrumando a encrenca:

Hurley

Eis que vira o menino:

– Peraí, comigo não funciona assim, ou você vai ser educada e eu vou embora…

E eu interrompo…

– OU EU CHAMO O SEGURANÇA E VOCÊ SAI A FORÇA

Então sim meus queridos, ele preferiu que eu chamasse o segurança, que teve que pedir “gentilmente” que ele ficasse longe ou teria que “se retirar” do estabelecimento. E ele pagou esse mico desssssssnecessário e ainda teve que aquentar a minha cara de Eu Te Avisei. Agora me fala, precisava? Cadê o bom senso gente?

Também tivemos falta de bom senso nos meios de transporte, começando pela galera que curte fazer protesto nos horários de pico NA PUTAQUEOPARIU DA SEXTA FEIRA só pra fechar a paulista e causar com a vida de quem só quer chegar em casa. Só te digo uma coisa, pode ser protesto pra ter Feriado do Bacon que eu não vou apoiar. Apoio apagar o sol, mas não apoio causa de quem fecha a paulista na sexta. Serião gente, faz na segunda que já é um dia merda. Mas não estou aqui pra dar ibope pra tumulto, estou aqui pra falar da menina que me fechou no transito. Estava eu bonitinha na minha faixa, no maior transito monstro, eis que uma linda simplesmente imbica o carro na minha faixa, sem dar seta, sem por a mãozinha pra fora, sem pedir “por favor”, sem me esperar passar, sem ter educação, sem nada. Oi? Depois se eu levo o seu retrovisor você reclama.

E para terminar o boy que demorou 6 mensagens ignoradas pra entender que a minha amiga não ia responder. Seis. Em dias diferentes. Sendo que 4 eram emojis e a última dizia “Bye- Bye”. Oi? Bye- bye que quem? Ela não deu nem oi. Eu fico pensando o que passou na cabeça desse rapaz. Uma das do meio era “Ta difícil a comunição”, meu querido, você está mandando mensagem para um aparelho que fica grudado na menina 24 horas por dia e te avisa que a mensagem foi enviada, a única dificuldade que tem aqui é a sua de compreensão. Não ter uma resposta também é uma resposta. 

É claro que muitas outras coisas aconteceram pra eu me revoltar com essa sociedade horrorosa, mas por enquanto é isso. Agora você que está lendo, pensa na sua vida, pensa se você também não está faltando com essa coisa invisível que só os inteligentes enxergam chamada bom senso, porque ninguém gosta de conviver com gente escrota. É sério. 

Não alimente a nóia.

Screenshot

Você está saindo com o rapaz há algum tempo e está tudo bem. Ele te manda mensagens quase todos os dias, ele te chama pra sair, ele te apresenta amigos e até conta histórias de família.

Mas nada disso conta, porque na quarta- feira ele demorou 2 horas a mais do que de costume pra responder a sua mensagem e não fez nenhuma pergunta. Na sua cabeça, isso é tudo que importa.

Eu não sei o que acontece na cabeça de nós mulheres pra alimentarmos essa nóia sem limites. Fico pensando em que momento foi que perdi o senso, porque claramente ele está perdido. O menino manda “oi tudo bem?” eu já estou dando print pra mandar pras amigas perguntando “se eu devo responder ou ele está acabando o assunto?”. Completamente sem noção.

E quando ele demora pra responder então, já começo a criar as linhas de raciocínio que levaram ele a desencanar de mim em questão de dias. Pode ter sido a ex. Ele pode ter pensado melhor no assunto e percebido que não quer um relacionamento agora, o que, na verdade, só quer dizer que ele não quer um relacionamento comigo. Talvez eu tenha dito alguma coisa errada ou nosso último date não foi tão bom. Às vezes ele não está sentindo que o sentimento dele por mim está evoluindo. Ou que ele nunca sente a minha falta. Porque a essa altura do campeonato o namorado da minha amiga já tinha começado a querer sair com ela dois dias no final de semana, mas a gente só sai um, será que isso é um sinal? Será que ele só estava saindo comigo por conveniência? Mas e os planos? Ele disse que nós iríamos jantar naquele restaurante da moda qualquer dia desses. E se ele só estava sendo educado?

E eu acho que a pior parte é exatamente essa: O não saber. Veja bem, eu era feliz antes dele e com certeza serei feliz depois, ninguém morre de amor. Mas, esse limbo do não saber é o que mata, porque você não sabe se comemora quando ele insinua planos para o futuro ou se já pode entrar em desespero a cada ínfimo sinal de distanciamento. O não saber é pior que o fim.

O problema é que monitorar a atividade dele no Whats, Face e Spotify (eu não tenho limites, eu sei) não vai fazer ele te responder mais rápido, confie em mim, eu sei do que eu estou falando. Na verdade isso só vai fazer com que a sua nóia que já é gigante, fiquei um pouco maior a cada vez que você pegar ele lá online no Whats te ignorando, na verdade a única coisa que você pode fazer nessas situações é pegar uma cadeira bem confortável e esperar. Ir fazer outras coisas, viver sua vida e deixar pra lá. Talvez ele realmente tenha desencanado, talvez ele não te queira mais ou talvez ele só não seja um grande fã de mensagens. Você nunca vai saber, então não alimente sua nóia.

Se permita 5 minutos de surto, fale alguns palavrões feios, peça conselho pra um amigo homem e depois respire fundo e cague pra ele, com cada célula do seu corpo.

Ainda bem que amanhã tenho terapia porque olha, é pra ficar louca sem ver Deus.

Não é sobre aparência

Screenshot003

Venho de longe e trago notícias: Eu voltei! E digo mais, voltei e voltei já pisando nazinimiga!!

Dancemos por essa vitória.

Mas agora vamos ao que interessa…

Era uma vez uma obsessão, quem sempre??? Já tinha fuçado todas as redes sociais e sabia tudo sobre o cidadão no Nível de Stalkeamento: Se cruzasse com a mãe na rua eu cumprimentava pelo nome. Além de, claro, falar do menino para as muitas pessoas que cruzavam meu caminho, porque, como todos sabemos, eu nunca aprendi a manter minha boca fechada. Eis que, em certa ocasião, enquanto comentava brevemente sobre a vítima em questão, com uma menina da minha sala, eu escuto um “nossa eu sou A-P-A-I-X-O-N-A-D-A por esse cara”. Detalhe importante: até esse momento ninguém tinha pego o bofe.

Para que você entenda o porquê do meu pânico, vá até o Google, digite Barbie no campo de busca, selecione a aba imagens e observe atentamente os resultados mostrados.

Essa é a menina. Já mencionei que ela tinha pernas longas?

Agora, eu não sou o tipo de mulher que se intimida facilmente e você também não deve ser, mas quando você tem uma quase modelo da Victoria’s Secret querendo o mesmo homem que você, as coisas ficam complicadas. Então eu fui humana e pensei: “CARALEO, em que mundo este homem vai me dar bola com ESTA mina dando em cima dele???? Só se for no universo paralelo em que eu nasci com a cara da Gisele Bundchen”, porque essa é sempre a primeira coisa que nós, reles mortais que não temos um metro e meio de só de pernas, pensamos. E é ok pensar assim por alguns minutos, até a realidade bater e você ver que não, afinal de contas você é a Imperadora Triunfal do Universo Deusônica e nem com quatro metros inteiros de pernas magras, essa sirigaita vai passar na sua frente na fila da vida.

È claro que depois dessa conversa eu percebi que teria que agir, a menina ainda não tinha se movimentado, mas parecia disposta a tal, então fiz o que toda mulher sensata faria no meu lugar: fui pedir ajuda para os universitários amigos no Whatsapp. E depois de muita confabulação chegamos à conclusão mais óbvia e simples que um macaco com meio cérebro poderia ter chego, mas que eu, por pura teimosia, não queria aceitar: adicionar o menino no Face e puxar um assunto. Esse era o plano maligno. Malévola não seria tão criativa, não?!

O assunto não era o problema, afinal de contas, se tem uma coisa que eu aprendi com esses anos todos de vida, foi que, quando a pessoa está interessada, pouco importa se você está falando de canecas ou de física nuclear, o que me preocupava era exatamente a possibilidade de não haver um interesse. Mas aí eu tomei coragem, sabendo que, se desse merda eu ia ter que olhar pra cara do infeliz pelo próximo mês inteirinho, e puxei o FUCKING assunto.

E ele respondeu, não só respondeu como deu continuidade e ficamos nesse trelêlê por dias, meses até. É claro que nesse ínterim eu tive incontáveis nóias, que transitavam livremente do “Acho Que Ele Só Está Sendo Educado” até o “Será Que Ele Está Fazendo A Mesma Coisa Com a Srta. Pernas Longas?”, ele não estava, mas eu não sabia disso e não tinha como perguntar pra menina sem contar sobre o trelêlê e levantar essa lebre, desnecessariamente, então sofri calada enquanto passava aulas e mais aulas, forçando o meu astigmatismo enquanto tentava enxergar as conversas dela no Whats da fileira de trás. Sim, eu tenho a idade mental de uma adolescente de quinze anos.

Mas até aí eu estava tranquila, ela parecia ter desistido do rapaz e eu tinha um date marcado. Não contavam com a minha astúcia. Eis que, um belo dia, chega a linda com uma MICRO SAIA na aula. Um frio de cair o cu da bunda e a mina me aparece de mini saia de babados, é sério isso? É claro que todas as cabeças masculinas fizeram a menina do exorcista só pra observar os metros de perna. E é nessas horas que a gente se engana dizendo “mas eu tenho personalidade e bom humor”, como mulher gosta de se iludir, né?! Mas aí chegou o fim da aula e ele estava sem carro, então muito gentilmente eu ofereço uma carona e penso o quão esperta eu sou por lançar esse golpe de mestre, há! E a quenga vira e fala “ah, acho que qualquer uma das duas pode levar ele…”.

Oi? Quem te chamou aqui querida?

Quase que eu perdi a linha e falei “qualquer uma das duas pode, mas quem vai levar sou eu, beijos”, mas então resolvi ser civilizada e respondi apenas com um “É, né…”, que é a resposta padrão para quando você quer mandar a pessoa à merda, mas está fingindo educação.

No fim das contas o boy magya negra foi comigo, saiu comigo e ficou comigo. E enquanto isso, num reino muito, muito distante, a Barbie lamenta sua perda, cruzando e descruzando as pernas com sua Mini Saia da Apelação.

Des.Iludida.

2240-hectorfarao-2721

Tudo começou com essa palhaçada do Whatsapp caguetando geral nas mensagens. Gente, fala pra mim, qual é a necessidade disso? Eu quero ter o direito de ignorar as pessoas que eu tenho vontade DISCRETAMENTE, eu quero ter o direito de fazer um doce pro boy (porque isso faz parte do charme) sem que ele saiba e, mais importante que tudo, eu quero ter o direito de pensar que eu não estou sendo ignorada e que na verdade a pessoa ainda não viu minha mensagem. Da licença de eu me iludir? Obrigada.

Ok, agora vamos encarar a realidade.

Bom, pra começar está claro que eu não tenho estrutura pra lidar com essa nova funcionalidade né?! Eu já ficava possuída quando ACHAVA que estava sendo ignorada, mas agora que eu tenho certeza, a minha vontade é de fazer a pessoa engolir a mensagem, mandar um “nem queria falar com você mesmo”, dizer “cara, se tá ligado que o Whatsapp já me contou que você leu issaqui néam?!” e completar com um “seu cretino”, porque ninguém aqui é obrigado. Quero que inventem o botão “Mandar Carro de Mensagem” pra toda vez que a pessoa te ignorar. Assim não só ela é obrigada a ouvir o que você tem pra dizer, como também passa vergonha e aprende a não brincar com gente desequilibrada, no caso eu.

E o que mais me incomoda não são os peguetes, afinal de contas, com esses eu já estou acostumada. O problema é quando um amigo seu, aquele seu brother, irmão de sangue, que te deve 50 conto que você nunca cobrou, te ignora. Isso meus queridos, irrita. Muito.

Pior ainda quando foi A PESSOA que te mandou mensagem primeiro, exemplo: O Bipolar estava afim de falar com você, aí você responde bem linda e a pessoa VISUALIZA e não te responde. Tipo, o que acabou de acontecer??? A pessoa mudou de idéia no meio do caminho? Queria falar com você, só que não?! Pegadinha do malandro?

E dai que de vez em quando a TPM bate forte, e destrói todo o meu bom senso, fazendo com que eu deixe indivíduos como esse, com uma mensagem mal criada e um número de telefone apagado da minha agenda. De acordo com estudos inventados por mim, não há nada mais vingativo do que apagar o telefone de alguém dos contatos. Você se sente a Rainha Triunfal do Universo, mesmo que, em algum lugar do seu ser perturbado, você saiba que o fato de você não ter mais o telefone na sua agenda não vá fazer A MENOR diferença na vida da outra pessoa, quando você aperta o “Apagar Contato” é como se você estivesse jogando a mesma num calabouço e engolindo a chave. É uma sensação maravilhosa.

Sim, eu sou um ser humano desprezível.

Tudo bem que assim que este te enviar outra mensagem e a sua raiva já tiver passado, você vai alegremente gravar o contato novamente e ainda sair achando que “deu uma bela lição nessa pessoa mal educada, ha!”. Se eu estou me iludindo? Sim. Se eu sei disso? Óbvio! Mas o importante é ser feliz, me julgue polícia da internet.

Mas enfim, vai aqui meu desabafo.

A Teoria do Abacate

avocados

Desabafo. Pessoas lindas, eu tive um enorme desgosto (que quase me fez desistir do blog) com o último texto que eu traduzi aqui no Relatos devido a quantidade de blogayros que tiveram a pachorra de vir aqui, mandar um ctrl+c ctrl+v, NA MAIOR CARUDA, e não se dar nem ao trabalho de mencionar o meu humilde blog. Então estou eu aqui novamente, pedindo educadamente pra você, cara de pau, que vai copiar o texto, valorizar as últimas horas que eu passei perdendo o meu tempo, pra traduzir pra você, e coloca o link do blog fazfavor, não te custa nada (copiar o texto e mudar três palavras ainda é considerado cópia, só lembrando).  E pra você fã da Diva, se ver alguma putaria desse tipo acontecendo, VAI LÁ E METE A BOCA.

E agora… O texto.

Abacates são, provavelmente, umas das melhores coisas já inventadas. É como se a natureza tivesse acordado um dia e foi tipo, “Eu faço tanta merda (tornados, terremotos, tempestades de granizo) então hoje eu vou compensar isso dando a vocês o abacate”.

A única ressalva dos abacates é que você precisa ser muito ninja pra saber exatamente quando eles estão maduros, como evidenciado por um meme que anda circulando pelo Instagram:

Não ainda.

Não ainda.

Não ainda.

Não ainda.

Não ainda.

ME COMA AGORA!

Tarde demais.

– Abacates 

Com as bananas, você consegue dizer o que está acontecendo por dentro graças a uma casca que muda de esverdeado, para amarelo, para manchado de marrom. Mas não o abacate, onde todo o processo de amadurecimento varia em tons alucinantes da mesma cor: muito verde, para verde, para verde exército, para… Eu acho que isso ainda é verde, mas pode ser marrom, e isso quer dizer que já está pronto pra comer? Todos os que já esperaram uma semana inteira um abacate amadurecer para poder fazer guacamole, sabem o horror de descobrir que o espécime – perfeito apenas uma hora atrás – de repente ficou duvidoso.

E o mesmo ditado vale para os homens com menos de 30.

Pegue como exemplo um cara comum nos seus vinte e poucos. (Vamos chama-lo de Lev em homenagem ao meu colega de quarto, porque é um nome engraçado e eu vou ter que repeti-lo muitas vezes para esclarecer meu ponto. Isso é o que você ganha por deixar o acento da privada levantado!)

Lev tem 25 anos, é atraente, e consideravelmente bem sucedido. Lev conhece esses fatos sobre si mesmo. E por causa da sua auto-consciência e do nível elevado de sua auto- estima, devido em grande parte a seu cabelo ainda forte e o metabolismo que está longe do declínio, ele não tem a menor pressa para entrar em um relacionamento. Ele está testando as possibilidades e arrasando as pistas de dança. Lev está saindo com cada garota bonita usando um rabo de cavalo que ele não considera uma assassina em série e, portanto, vai passar o número do celular em troca da sua cantada barata.

Garotas vão se apaixonar por ele. Elas vão tentar namorar sério com ele e vão lamentar coletivamente quando seus esforços falharem. Elas vão se perguntar se foi algo que fizeram ou algo que disseram, se foi a cor chamativa das suas calças ou o fato que elas pediram salada ao invés de um hambúrguer. Mas Lev apenas não estava pronto ainda. (Não foram elas, foi ele).

Aos 26, ele ainda não estava pronto.

Aos 27, ele ainda não estava pronto.

28? Não ainda.

Então os 29 chegam e um belo dia, do nada, nosso cara comum identificado como Lev conhece uma garota. Talvez ela não seja particularmente especial, não era a mais bonita, nem a mais inteligente, nem aquela com a qual ele tinha mais coisas em comum, mas porque Lev é essencialmente um abacate, ele decidiu que neste exato segundo, ele está PRONTO e ela é A garota.

Entretanto, se a garota mencionada não estiver pronta no mesmo momento – (garotas seguem um padrão semelhante, embora eu diria que apesar da natureza fálica do fruto, somos muito mais parecidas com bananas) – então as coisas ficam estranhas. Lev se torna maduro. Em seu desejo de garantir uma companheira, ele se torna muito mole, tanto figurativa como literalmente, sufocando a mesma com a sua necessidade de se estabelecer.

Eu descobri que esse estágio tende a acontecer bem perto dos 3 ah: seus amigos estão casando, seus familiares estão começando a fazer perguntas irritantes, e o momento parece “certo”. Na teoria, é a situação ideal, mas se a senhora a sua espera ainda é uma banana verde, a receita toda está errada e o relacionamento inevitavelmente falha.

Minh amiga Lisa tinha acabado de sair de um relacionamento (24 anos, gatinha) e apesar de gostar da idéia do namoro, não estava procurando nada sério. Então ela foi arranjada para um cara nos seus trinta e poucos, que se encaixava em todos os seus critérios. Eles se divertiram horrores, ela estava afim, e então, como se tivesse sido atingido pela força da flecha “pós- vinteealgumacoisa” do Cúpido, de repente se tornou evidente que ele estava procurando pelo Relacionamento.

“Eu não acho que tinha nada especial que ele gostava em mim,” ela disse. “Ele estava apenas pronto pra ter alguém pra dar o próximo passo. Poderia ter sido qualquer uma.” Eles terminaram e alguns meses depois, ele estava noivo de alguém que ele conheceu na internet.

Abacates, cara.

Texto lindo traduzido do Man Repeller que eu super recomendo.

Os meus adjetivos

large

Meu amor por adjetivos começou cedo. Louca. Foi o primeiro. Sabe, a beleza de ser chamada de louca é que ninguém te julga (ninguém te leva a sério também, mas isso são outros 500), você pode ameaçar tomar Veja Banheiros, cagar bolinhas de gude, discutir Harry Potter em público e cantar Moulin Rouge a plenos pulmões. Ninguém liga, porque, afinal, você é louca.

Eu adorava o meu adjetivo, mas aí comecei a namorar um cara que não queria namorar uma louca. Ele não gostava de loucas, ele gostava de discretas, mesmo assim ele gostou de mim, então eu joguei toda a minha purpurina fora e fui ser uma discreta. Era esse o meu novo adjetivo. Mas não tinha graça, nem máscaras de carnaval e roupas coloridas, e, aos poucos, eu percebi que esse adjetivo não era meu, era dele, do namorado, eu só tinha pego emprestado. É como quando você compra aquele vestido P mesmo tendo plena consciência que você é um M, com a promessa de que você vai emagrecer para o verão, mas ai não emagrece e fica triste toda vez que olha pra o vestido lá, mofando no armário.

E foi isso que aconteceu, meu vestido P me deixava triste, porque eu sabia que eu sempre seria um M. Eu sabia que discreta não era pra mim. Então deixei o vestido, fugi do país e fui pra Londres espairecer.

Eu nunca tive tanto adjetivos num período tão curto de tempo. Começou com o óbvio, brasileira, mas em pouco tempo eu virei legal, dai veio o engraçada, o sexy, e finalmente o meu preferido o fofa. Gostava mais desse porque quem me deu esse adjetivo foi um rapaz que eu amei, ele era meu vestido M e gostava de mim com toda a minha purpurina. E eu gostava dele porque ele me deu um adjetivo que me cabia. É difícil achar um só adjetivo pra ele, mas se eu fosse obrigada a escolher, eu diria ideal. Eu sei, é sem graça, mas é o que ele era: Ideal. Duvideodó que alguém nesta terra conseguisse achar um defeito neste moço era tudo que você sempre sonhou em um rapaz, embrulhado pra presente, com um sotaque francês. Ideal e só.

Aí tive que voltar do sonho britânico e encarar esta barra que é gostar de um moço que mora em outro país. E do meu fofa, tão lindinho, eu fui pra o apaixonada (não tão lindinho). Gostaria de saber quem foi que disse que se apaixonar é legal? Porque não é, então avisem seus amigos e vamos ver se a gente se livra desse mal que esta se espalhando mais que o ebola. Enfim, depois de meses de espera e mensagens trocadas no facebrookson, fui para França e encontrei com o rapaz, só pra descobrir que não. Não era verdade, ele não tinha saudade e já não pensava muito em mim, muito menos queria viver pra mim, visto que já estava namorando outra moça bem da sem graça, com cara de picolé de chuchu.

Então eu joguei o apaixonada no rio e voltei pra casa com o megera. Megera é um ótimo adjetivo, megeras não se apaixonam, eu podia friamente dispensar todos e sair por ai rebolando, linda, divônica, inacessível. E aí… E aí Brasil? Me fala o que aconteceu?! Óbvio que foi neste momento de iluminação e felicidade plena da minha vida, que me aparece um moço lindo, inteligente, culto, estiloso, que toca 20 instrumentos e sabe mexer no Excel. E QUE QUASE DESTRUIU A MINHA SANIDADE MENTAL. O ex.

Aí eu sai do megera, dei uma passada rápida no depre, mas dei a volta por cima e me coloquei linda bem em cima do vacinada. Vacinada para o amor. Você disse que ia ligar, mas não ligou? Ok, porque eu sou vacinada. Você deu em cima da minha amiga? Ok, porque eu sou vacinada.

Mas aí várias coisas aconteceram, dente elas: A Volta Dos Que Não Foram estrelando meu ex sendo um cachorro e o episódio lindo do bonito que pegou outra na minha frente (que já foi comentado aqui anteriormente), e do vacinada eu fui para o fria que, diferente do megera, não tem aquele status deuso de vilã da Disney, fria é só alguém que já se ferrou tanto no amor que se enterrou num poço, onde sentimentos e pessoas são tão descartáveis quanto copos plásticos em festa open bar.

Foi nesse momento é que a coisa começou a ficar feia. Eu não queria o adjetivo, mas, eu tinha que admitir que esse me cabia muito bem, bem demais eu diria e, diferente dos outros, esse foi ficando, porque ser fria é mais fácil, você não sofre, é tipo sequestro de banco: ninguém entra e ninguém sai.

E agora aqui estou eu, procurando alguém pra me ajudar a mudar meu adjetivo. A principío eu queria que viesse de um sincero, porque eles são sempre melhores quando se trata de doar adjetivos, mas também podia ser um apaixonado ou um apaixonante que eu juro que não ia ligar. Talvez pudesse ser um incrível, que também me achasse incrível e então poderíamos ser incríveis juntos, ou um intenso, para que tivéssemos adjetivos complementares. Ele podia usar o short e eu a blusa, sem vestidos dessa vez. Eu até pensei em mudar eu mesma meu adjetivo e acabar logo com essa presepada, mas sabe, adjetivos são como apelidos, tem que vir dos outros, se não, não pega.

Então é isso, meu coração tropical tá coberto de neve e eu estou aguardando o bofe, ou a viagem, ou seja lá o que for que vai conseguir mudar qualquer coisa aqui. Está lançado o desafio! Matem-se!