Eu não sei ler sinais.

sheep

Existem seres evoluídos que sabem ler mensagens subliminares, eu não sou um deles. Eu não sei ler expressões faciais, nem corporais e muito menos mensagens subliminares em curtidas no Facebook. Às vezes eu tenho dúvidas até se a aquela cara feia é pra mim mesmo ou para o quadro que está atrás de mim na sala, quem dirá aquele seu chaveco dúbio por Whasapp. Então eu faço aqui um apelo:

Homens do meu Brasil sejam claros.

Não puxe assunto se você não está afim, não de trela se você não sabe o que quer, FALE as coisas. É sério, ninguém vai te crucificar porque você não sabe o que quer, ou porque você sabe que não quer nada sério, mas pelamordedeus dá um alô pra pessoa do outro lado saber o tamanho da enrrascada e ter a chance de escolher se quer ou não entrar nesse barco.

Enfim.

Estou saindo com um boy Magya Negra já faz umas luas e aparentemente ele é o rei das mensagens dubias, ou seja, surto uma vez por semana. Hoje pela manhã, por um acaso, foi um desses momentos de glória, quando todos os meus amigos se juntam pra confirmar que sim, eu sou a louca, e não, ele não está me dando um fora.  Ainda. Eu realmente não sei que aula de interpretação de texto eles andam frequentando, mas aparentemente todos foram na mesma porque não é possível! Fico chocada como eles enxergam a mesma coisa, aquela coisa linda que eu simplesmente não consigo ver.

Por duas vezes eu já li mensagens dele e pensei “Gente não tá afim, tá claro que não tá! Vou desencanar, ser uma mocinha crescida e parar de falar com ele antes que ele comece a me ignorar” e aí vem algum amigo e diz pra eu parar de ser louca “fazendo o favor”.  Então cheguei à conclusão que realmente eu não sei lidar com pessoas e que em vidas passadas eu devo ter sido uma porta.

E não vamos nem entrar no mérito do “Acho que ele está pegando outra” porque eu tomei a sábia decisão de não pensar no assunto até que me apresentem provas concretas. Um, porque mesmo que ele esteja não há nada que eu possa fazer, e dois, porque estou poupando a minha imaginação fértil AND uma úlcera que já estava pra aparecer.

Enfim, o que acontece é que a cada mensagem nova eu convoco uma reunião com meus amigos pra saber “O Que Este Ser Humano Está Me dizendo Aqui” e a dessa semana foi à recusa de um convite meu. Porque sim, eu vesti a minha roupinha de trouxa e fui lá convidar ele pra sair. Pra começar que só pra fazer o convite foi toda uma novela, a gente nunca sabe quando vai poder tomar essas liberdades sem que o outro pense que você é uma desesperada. E então me vem a resposta “Puts, não posso essa sexta :/“.

Perceba, ele não disse “nesse dia não posso, mas vamos marcar domingo/semana que vem/ dia 31 de Fevereiro” como toda a humanidade sabe que é o comportamento normal de uma pessoa que está realmente ocupada, mas tem interesse em sair com você, ele disse “não posso” e um beijo, me liga. O que você leitor, interpreta dessa mensagem?

“Oi, foi legal, mas não estou mais tão interessado, favor retirar seus pertences no caixa”.

Mas aparentemente eu estou errada, porque de acordo com meus amigos isso foi apenas um “oh wait!”, porque nós já estamos saindo há um tempo e ele não está a fim de se amarrar quer apressar as coisas, não é mesmo?!

E ainda tem aqueles que dizem que nada disso foi sinal algum (sabe de nada inocenchty) e que foi apenas uma pessoa que estava genuinamente ocupada, e que homens são lerdos e ele nem sequer pensou em toda essa repercussão.

Interpretações a parte, pra mim a mensagem foi e sempre será:

“He’s not that into you”

Nesse momento estou jogando no lixo todas as expectativas que eu criei, alimentei, vesti e contei histórias pra dormir, ligando novamente o nosso amigo Botão do Foda-se e já combinando a balada cazamiga. Porque afinal de contas, o mais importante é que meu cabelo continua crescendo.

Menino do Rio

Captura de Tela 2015-02-19 às 01.21.18

Era uma vez um carnaval bagunça.

Eu estava sem paciência pro amor, mas o carnaval está e sempre esteve aí pra me provar que eu não sou ninguém na fila do pão e que quem manda aqui mesmo é o universo.

* Tá me fudendo aqui hein universo, te contar uma história…

Mas enfim, estávamos todas curtindo esse carnaval maravilindo quando de repente, minha amiga ativa um contato do Tinder e combina uma saída. Até aí tudo muito lindo, íamos pra uma baladinha indie no Rio, com cariocas indies, classificando aquele como o melhor lugar do mundo.

Gostaria de confessar aqui que eu tenho uma queda por cariocas, uma queda bem grande, aliás. Você não imagina o quão sinistro o mundo pode ficar com um X bem colocado. Sinixtro. Aqueles moços com aquela fala mole, que fazem qualquer paulista perder a pressa. Incrível.

Mas enfim, estava eu completamente desavisada, diva na night, quando fui atropelada por um trem bala chamado: O moço que não me deu moral. Porque como vocês já devem saber, eu adoro essa novela. E aí que o amigo dele estava pegando a minha amiga e decidiu resolver essa parada, fomos propositalmente deixados sozinhos (sutileza, a gente vê por aqui), mas nem só de planos bem intencionados sobrevive o amor, então passamos 4 fucking horas conversando e ele não me pegou.

Bem- vindo ao Essa é a Minha Vida.

No dia seguinte rolou uma informação que o moço, apesar de ter me adorado, era gay. Rolou uma tristeza? Sim. Mas é carnaval gente, um dia a gente ganha no outro a gente perde e, naquela noite, eu tinha perdido. Continuei meus planos de carnaval, sendo linda e não pegando ninguém no bloco, simplesmente porque eu não estou pra brincadeira ultimamente, até que, numa segunda feira de carnaval, eu recebo uma solicitação de amizade inesperada. Agora, chuta de quem foi? Sim Brasél lá estava ele e não satisfeito ainda veio puxar assunto!!!

Pra uma pessoa com um histórico como o meu, isso é quase uma daquelas cenas de comédia romântica quando o cara aparece no aeroporto no último segundo só pra pedir pra mocinha ficar. Já estava organizando a papelada do casamento.

É claro que ainda restava a dúvida: “Ele não era gay?”

Mas isso são detalhes gente, não da pra ficar se pegando nessas pequenas coisas, ninguém é perfeito né?! Então chamei o menino pra ir com a gente pra baladinha e rezei para o melhor.

No fim das contas ele não era gay e assim começa o meu romance de carnaval, que durou mais especificamente 2 dias. Quase uma vida. Ele me chamava de apelidos carinhosos, foi na balada só por minha causa, voltei pra SP chateada, já pensando quando eu ia voltar pra lá, que o destino tinha sido muito cruel em ter nos colocado em cidades diferentes. Cheguei aqui, mandei mensagem e ele me respondeu com “N”. Morri.

Entenda, eu não ia ligar se ele tivesse abreviado “paralelepípedo” a minha úlcera mental se deve ao fato que, a pessoa que ontem estava me chamando de amor, hoje não se deu nem ao trabalho de escrever corretamente uma palavra que tem 3 letras. É sério isso? A única explicação plausível pra isso é “puts é que caiu meu dedo aqui, aí não consegui digitar”, mas ainda assim, função áudio está aí pra isso, não precisa nem gastar o dedo.

E agora aqui estou, digerindo esse OOOOLÉ que a vida me deu. Sem entender nada, mas com a certeza de que esse barco já partiu e foi dar a volta ao mundo com a família Schürmann. #voltabarco #voltacarnaval

Agora se você aí também está se recuperando de uma rasteira romance de carnaval, não liga não nega, o mundo está cheio de gente, a sua hora vai chegar.

Isso me dá tic tic nervoso.

9712233354_6f482c6f38_o

Eu tenho uma teoria que existem dois tipos de mulheres no mundo: as neuróticas e as atrizes.

As neuróticas são aquelas tipo eu e você, que tem crises toda vez que o bofe “ta estranho“, chiliques toda vez que a ex da like na foto de perfil do lindo, surta quando uma quenga vem dar em cima dele na balada bem ao seu lado, e as outras são aquelas que fazem tudo isso, só que com uma discrição Jedi pra que ninguém perceba. Ou seja, todas as mulheres são neuróticas, não tem como evitar, faz parte do nosso charme.

Sabendo disso, venho aqui fazer um apelo. Não é por nada, eu entendo que tem caras que estão interessados e caras que não estão, que tem caras que são mais ocupados, mais desencanados, mais naturalmente tímidos e etc. Eu super compreendo isso, agora o que eu não compreendo é porque a pessoa que costuma demorar em média 5 minutos pra me responder mensagens, assim, de um dia para o outro passa a demorar 2 horas. Isso, minha gente, eu não consigo entender.

Isso é desesperador pra qualquer mulher, mexe com a saúde mental da pessoa sabe?! A pessoa sempre te responde rápido, sempre atende as suas ligações, sempre esta ALI. Passou os últimos dias puxando assuntos esdrúxulos com você. Ai você pensa, “poxa, vou ser legal hoje, vou demonstrar interesse pra não dizer que não estou nem aí” e a pessoa faz o que??? Demora 2 horas pra responder o seu “hello” (super fofo, diga-se de passagem), com um “e aii” bem do sem graça. Agora me fala, é ou não é, pra mandar tomar no cu?

Aí vem aquela sua amiga super equilibrada e sensata (porque o problema não é dela) e diz que “ele deve estar ocupado”, bom, então ele não esteve ocupado em nenhum momento nas últimas semanas, já que ele passou horas no papo furado comigo durante todo esse tempo. A única desculpa plausível pra isso seria: “puts, é que cortaram a minha mão fora, ai não consegui te responder”.

Entendam, o problema não é o cara demorar pra responder, eu consigo entender que um cara que sempre demora pra responder, sempre vá demorar pra me responder. Ou que um cara que as vezes demora 5 minutos e as vezes demora 2 dias, seja imprevisível. O que me incomoda são os que: uma hora estão e outra hora não. Sério gente, vamos ser claros nas intenções e poupar a gastrite do coleguinha, muito mais simples.

Eu acho que as pessoas seriam muito mais felizes assim, economiza energia, como diria uma amiga minha “ou o telefone toca, ou não toca”, sem esperar a mensagem alheia que não vai chegar. Você só fica no papo furado se tiver algum interesse, eu só te respondo se eu tiver interesse e o mundo continua girando, assim eu não perco meu tempo e você não perde a sua paciência, combinado?

Esse povo que fica mandando mensagens cruzadas… brincadeira viu…

Sobre amizades virtuais e amores não correspondidos

9717263801_da1287fe9e_o

Ultimamente eu tenho me sentido um Tamagotchi (pra você que não sabe esse é o nome do antigo bichinho virtual) e isso vem acontecendo graças a um cidadão, que anda me cozinhando em banho-maria  falando comigo por Whatsapp FAZ 2 MESES. E não estou falando de coisa pouca, a novela das conversas tinha direito a mensagem de voz, foto e bom dia, chupa essa manga Brasil! 

Mas então você, amiga solteira, me pergunta: “Mas qual é o problema nisso?”.

E eu te respondo: Nenhum, caso essa não fosse a ÚNICA INTERAÇÃO QUE EU TINHA COM O INDIVÍDUO.

Isso mesmo, nada de dates, nada de Skype dates, nada de encontros casuais em baladas, nada de cafés, ou sorvetes, ou um mero “passo ai pra te dar um oi”. Nada. Nunca vi o cidadão ao vivo.

É claro que eu não tinha a intenção manter essa situação por tanto tempo, mas o menino é realmente profissional no banho-maria. Ele mantém a coisa toda com um ar casual, tipo “não temos nada”, e ao mesmo tempo faz com que você se sinta na confortável para contar detalhes da sua vida pra esse total estranho, como se ele fosse seu BF de anos.

A situação toda tinha uma mensagem em neon piscando: “É cilada Bino!” Você consegue ver isso, não é?! Minhas amigas conseguem ver isso e até meu cachorro conseguiria ver isso, mas eu… Veja bem, eu não consegui.

Enfim, um belo dia acho que Deus, que tava vendo toda essa zoeira ai, ficou com pena de mim e resolveu cruzar nossos destinos em uma festa. Eu já tinha resolvido fazer a linda e esperar ele me mandar à mensagem, então fiquei no aguardo até que o fofo manda:

– Cheguei!

Eu dei aquela enrolada básica e respondi:

– Eu tbmm!

Ai você pensa, pronto! Vai ser agora, ele vai vir me encontrar e vamos finalmente nos conhecer, score! Só que não, a resposta chega e nela está escrito:

– Yeaahhh

Oi? Alguém pode me explicar o que quer dizer isso? Yeah é o novo “vamos nos encontrar agora” e eu não estou sabendo, é isso? #confusa. Na dúvida eu não respondi nada, porque, afinal de contas, não estou com saúde pra correr atrás de marmanjo e esperei que ele mandasse alguma mensagem que fizesse sentido. Eis que dali a um pouco:

– Onde vc ta?

Pronto! Soltei fogos, achei meu marido, era o meu momento #sqn. Falei onde eu estava e o menino… Nada, a novela continuou assim por mais umas horas e naquele momento eu já estava possuída pelo ritmo ragatanga. Encontrar esse infeliz já tinha se tornado uma questão de honra, nem que fosse só pra sentar a mão na cara dele pela falta de atitude.

E como o meu santo é fortíssimo, eu achei e fui falar com ele. Óbvio que eu fiz a linda e fingi que nem tinha notado o quão MOLE ele foi, porque é isso que as mocinhas espertas fazem quando querem pegar um cara. Conversamos, dançamos, cantamos, apresentamos os amigos e… e? Chuta o que aconteceu? MISTER M.

O menino desapareceu feito fumaça. #decepção

Ok, tomei um fora, pensei eu, já tinha tomado outros foras antes, eu sabia como era e já estava vacinada contra isso. Então peguei minha dignidade e bebi toda a decepção em grandes goles de vodka. Claro, não me lembro de meia festa, mas deve ter resolvido o problema já que no dia seguinte eu acordei feliz e conformada com o fato de que tinha perdido um boy magia, ué paciência né?! Só que aparentemente o boy, além de magia, também é bipolar e quando olhei o meu celular lá estava… Uma mensagem dele.

Desde então ele continua falando comigo (todo dia) como se nada tivesse acontecido, como se nós nunca tivéssemos nos conhecido e aí eu te pergunto: QUAL É A DESSE DEMÔNIO? ALGUÉM ME EXPLICA? O pior é que agora que eu já estou enrolada até o pescoço nessa história, fica complicado simplesmente parar de responder o cara e pronto, não sei o que fazer.

Sinceramente eu não sei o que anda acontecendo com os homens desse mundo, mas enquanto esse enrola, eu chamo os outros pra sair. Afinal, candidato é o que não falta.

PS: Estou aceitando teorias, então caso você tenha alguma ideia do que está acontecendo aqui, por favor, me ilumine com a sua sabedoria.

 

Homem é foda.

Captura de tela 2013-05-31 às 00.50.34

Que mulher, neste planeta ou em qualquer outro, já não pensou isso alguma vez na sua vida? E se você ALIEN, nunca pensou isso, o problema é seu, Jesus tinha 12 apóstolos e nenhum deles pediu a sua opinião.

Enfim, estava eu no Tinder (sim Brasél, eu tenho Tinder), achei um boy blindado, lindo, rhyco, simpático, tudo de bueno. Me deu bola? Yep! Pediu o Whats? Yep! Agora fazem duas semanas que estou de papo furado com ele, foto pra lá, mensagem de áudio pra cá pergunta se o nego resolveu sair comigo? Não.

Gente, eu não sei vocês, mas eu não estou à procura de um namorado virtual. Agora, me corrijam, por favor, se eu estiver errada, se o bofe manda mensagem pra você TODOS os dias (ninguém pediu, mandou porque quis) você imagina que ele tem interesse em te conhecer néam? Ou isso, ou ele curte perder tempo, porque não há outra explicação.

Minha amiga disse que judeus são mais lerdos, e dai fiquei eu pensando que ele deve ser judeu, porque NÃO É POSSÍVEL!

Enfim, o boy blindado está fazendo doce, então enquanto isso eu invisto nos outros 3179097 boys da minha vida, porque homem é o que não falta nesse mundo né?!

Se eu fico na #chateada porque o cara não está me dando o tanto de bola que eu gostaria? Claro que fico! Se eu penso que talvez vamos ter que adiar os planos de casamento? Claro que penso! Mas a vida continua gente, I have no time for drama e você também não deveria ter.

Porque, como já disse a nike, aqui é assim: No games. Just sports.

Need some help

Captura de tela 2013-04-11 às 00.43.05

Gente, alguém me explica que eu não entendi.

Você vai à festa, toda trabalhada na beleza, e depois de beber todo o whisky disponível na festa pega um cidadão. Ele é bonitinho, um velho conhecido seu que namorava mas não namora mais, nada programado, ele é mais legal do que você se lembrava (talvez o whisky tenha alguma coisa a ver com isso) e pega muito melhor do que você imaginava (amém), até ai tudo lindo. Vocês casam na balada e ele te leva pra casa no fim da festa.

E viveram felizes para sempre né?! Não.

Cheguei na minha casa, já beirando a sobriedade, olhei no espelho e achei a menina do chamado me encarando de volta, o único problema é que essa menina do chamado é a mesma que ocupa a foto do meu RG e que por acaso, devia ser a mesma que estava no carro com o bonitinho conhecido. Merda. Ele não vai me procurar nemmmm a pauladas, pensei eu, e segui feliz com a minha vida.

Só que eu estava errada e eis que no domingo seguinte da festa, o limmdo entra em contato pelo face perguntando “se eu já estava recuperada da ressaca?”, e não só mandou mensagem como mandou do celular (uma palma para o Facebook dedo-duro). A gente pensa, gamou né?! Não deu nem pra esperar chegar em casa pra fingir que “estava lá no face sem fazer nada e vi você online”, mas ok. Eu, como toda boa moça que faz doce, esperei umas boas horas e respondi. Tudo lindo, um tempo depois o face me conta que ela já visualizou a maldita, ficou online e? E, e, e??? E eu pergunto: Brasil o que aconteceu?

Nada.

Ele não respondeu. Não comentou, não me deletou to face e acabou logo com essa palhaçada, não mandou uma mensagem cortando o assunto, não se dignou nem a um “hahaha” (o novo “não to afim de falar com você”). Mas por favor, alguém pode me explicar o que aconteceu aqui? Porque eu não entendi.

E não era nem que eu estava super querendo pegar ele de novo, ele era tipo uma daquelas balinhas de consultório sabe?! Você pega porque está ali, não porque você está com uma vontade louca de comer bala. Mas eu merecia pelo menos uma resposta né? Isso é educação, gente!

Bom, meu amigo falou que eu devo dar uma chance para o rapaz até a amanhã, só por caridade, então veremos. Se não já parto pra outro, porque como diria meu cabeleireiro, “eu não sou obrigada né?!”.

Beijos deusonicos pra você que também sofre com o mal do boy bipolar.