Mulher não se apaixona, mulher cisma.

943152_4961177226960_1937897464_n

Outro dia estava numa festa, eis que vira uma amiga minha:

Ela: – Nossa, sou apaixonada por esse cara desde o primeiro ano de facu

Eu: – Sério? Ele era da minha sala, entrou comigo na faculdade… É uma porta de burro.

Ela: – É mesmo?! Putz, mas eu nem ligaria pra isso, se ele me desse bola eu pegava.

Eu: – Mas porque você é tão apaixonada por ele? Vocês já se falaram, já se pegaram, se conhecem de algum lugar?

Ela: – Não, eu só vi ele na faculdade e sei lá, me apaixonei. Acho que foi o estilinho.

Agora vamos lá, o que ela realmente sabe sobre este bofe? Nada. Então como é possível que ela tenha passado anos apaixonada por esse cara? Não é possível. Isso porque a minha amiga não está a apaixonada por este bofe, e sim pela ilusão de príncipe encantado que ela criou dentro da cabeça dela e que, não por acaso, tem a mesma cara deste bofe.

E sabe, ela não é a primeira mulher a fazer isso, porque vamos ser sinceras, mulher ADORA achar uma vítima pra ser objeto de adoração. Veja o exemplo da minha amiga, ela nunca trocou duas palavras com o cara, ela não sabia nem se ele tinha bafo e já estava apaixonada. E o pior de tudo, mesmo depois de ouvir que ele tinha um senhor defeito (a primeira informação real, de alguém que conheceu o indivíduo) ela continuou com a ilusão. 

Agora digamos que a situação acontecesse de forma inversa: Eu chegasse pra ela dizendo que ia apresentar um amigo, lindo, porém muito burro, vocês acham que ela ia achar o cara tudo isso? Não.

E por isso eu digo que isso não tem nada a ver com paixão, mulher cisma. Se a querida coloca na cabeça que quer pegar o cara, não há demônio que faça ela mudar de ideia. Ele pode chegar e falar que não lava o cabelo faz uma semana (acredite, isso já aconteceu), ainda assim, ela vai querer ficar com ele.

Sabe, pensando nisso, os caras deveriam explorar melhor esse momento de irracionalidade de nós mulheres, porque essa é a hora que nós passamos por cima de quase tudo, o cara pode ser um cafajeste, ter namorada, não ter uma perna, ser gay e nós vamos continuar hipnotizadas pensando “não, ele é o cara perfeito pra mim”, porque claro, isso só passa depois que você pega o cara. Ai é quando a realidade bate e você percebe que quando a sua amiga disse que ele não era dos mais educados, ela estava sendo gentil.

Mas calma, não pense que acaba ai. Antes de você desencanar totalmente do menino, você vai passar pela fase que eu gosto de chamar de Complexo de Vanessa Paradis, que consiste em:

Nós temos um garoto problema, que conhece uma mulher que muda sua vida e se torna o homem perfeito.

Ou seja, você acha que, seja lá qual for o problema dele, você vai consertar. Porque, ÓBVIO, você é linda e diferente de todas as mulheres que ele já conheceu na vida. E nem adianta negar querida, todas nós pensamos isso.

E então é claro que ele não vai mudar, porque as coisas não funcionam assim, e vai cagar  na sua cabeça, porque diferente do que você pensou, as mulheres que ele conheceu se parecem bastante com você. Nesse momento você vai acordar pra vida, ver o quanto ele é babaca e procurar uma nova cisma. Porque mulher não vive sem um objeto de adoração, nem que esse objeto seja de chocolate.

Como diria uma amiga minha:

Se fosse fácil não chamava vida, chamava biscate.