Des.Iludida.

2240-hectorfarao-2721

Tudo começou com essa palhaçada do Whatsapp caguetando geral nas mensagens. Gente, fala pra mim, qual é a necessidade disso? Eu quero ter o direito de ignorar as pessoas que eu tenho vontade DISCRETAMENTE, eu quero ter o direito de fazer um doce pro boy (porque isso faz parte do charme) sem que ele saiba e, mais importante que tudo, eu quero ter o direito de pensar que eu não estou sendo ignorada e que na verdade a pessoa ainda não viu minha mensagem. Da licença de eu me iludir? Obrigada.

Ok, agora vamos encarar a realidade.

Bom, pra começar está claro que eu não tenho estrutura pra lidar com essa nova funcionalidade né?! Eu já ficava possuída quando ACHAVA que estava sendo ignorada, mas agora que eu tenho certeza, a minha vontade é de fazer a pessoa engolir a mensagem, mandar um “nem queria falar com você mesmo”, dizer “cara, se tá ligado que o Whatsapp já me contou que você leu issaqui néam?!” e completar com um “seu cretino”, porque ninguém aqui é obrigado. Quero que inventem o botão “Mandar Carro de Mensagem” pra toda vez que a pessoa te ignorar. Assim não só ela é obrigada a ouvir o que você tem pra dizer, como também passa vergonha e aprende a não brincar com gente desequilibrada, no caso eu.

E o que mais me incomoda não são os peguetes, afinal de contas, com esses eu já estou acostumada. O problema é quando um amigo seu, aquele seu brother, irmão de sangue, que te deve 50 conto que você nunca cobrou, te ignora. Isso meus queridos, irrita. Muito.

Pior ainda quando foi A PESSOA que te mandou mensagem primeiro, exemplo: O Bipolar estava afim de falar com você, aí você responde bem linda e a pessoa VISUALIZA e não te responde. Tipo, o que acabou de acontecer??? A pessoa mudou de idéia no meio do caminho? Queria falar com você, só que não?! Pegadinha do malandro?

E dai que de vez em quando a TPM bate forte, e destrói todo o meu bom senso, fazendo com que eu deixe indivíduos como esse, com uma mensagem mal criada e um número de telefone apagado da minha agenda. De acordo com estudos inventados por mim, não há nada mais vingativo do que apagar o telefone de alguém dos contatos. Você se sente a Rainha Triunfal do Universo, mesmo que, em algum lugar do seu ser perturbado, você saiba que o fato de você não ter mais o telefone na sua agenda não vá fazer A MENOR diferença na vida da outra pessoa, quando você aperta o “Apagar Contato” é como se você estivesse jogando a mesma num calabouço e engolindo a chave. É uma sensação maravilhosa.

Sim, eu sou um ser humano desprezível.

Tudo bem que assim que este te enviar outra mensagem e a sua raiva já tiver passado, você vai alegremente gravar o contato novamente e ainda sair achando que “deu uma bela lição nessa pessoa mal educada, ha!”. Se eu estou me iludindo? Sim. Se eu sei disso? Óbvio! Mas o importante é ser feliz, me julgue polícia da internet.

Mas enfim, vai aqui meu desabafo.

Anúncios

Era uma vez um cafajeste.

33873_151117248256990_1506405_n

Fui no mercado e pedi bom senso, eles não tinham, então comprei vodka.

A mais ou menos um mês atrás minha amiga me apresentou um amigo. Tudo começou bem, já tinha combinado com ela de sair, estava blaster animada pois no dia anterior tinha pego o inglês mais gato do planeta na vila madá #habemuscopa #europeuvaledoispontos, quando ela me avisa que um amigo dela vai vir buscar a gente, até ai zero problemas né, ia gastar menos de taxi. Eis que chega o cidadão, mais conhecido como problema, mais conhecido como cafajeste, mais conhecido como moreno, alto, bonito e sensual. Não estava preparada pra isso.

É sério isso gente, qual é a chance de uma amiga sua dizer que vai levar um amigo e o cara ser bonito? Eu não sei vocês, mas, até esse nego aparecer, isso nunca tinha me acontecido antes, é sempre “amiga você vai amar, ele parece o Ryan Gosling” e quando você vai ver o cara é um anão japonês que fala “tlinta e tlês”.

Mas ok, respirei fundo e entrei no carro afinal de contas, eu já estive na presença de outros caras gatos antes e sempre existe a chance de ele ser um completo idiota, o que anula qualquer boa impressão causada pela beleza. Não foi o caso, só pra constar.

Chegamos na balada, uma fila que ia daqui até Presidente Prudente, eu e minha amiga resolvemos ir comprar alguma coisa pra beber ali perto, os meninos ficaram na fila. Resolvi saber logo o briefing do menino, pra ver onde é que eu ia amarrar meu bode:

– Amiga, esse seu amigo é consideravelmente bonito né?!

– Sim, ele é.

– Mas vale menos que um tufo de cabelo né?!

-É, ele não vale nada, pegou uma amiga outro dia e depois sumiu, ela não ficou muito feliz.

Já resolvida que eu não ia me sabotar e colocar outro encosto na minha vida, voltei pra fila com o foda-se ligado. Entramos na balada, meninos para um lado meninas para o outro, resolvi que ia curtir e achar um bofe que não tivesse um “cachorrão” written all over it mass nesse meio tempo minha amiga, que estava falando com um peguete no whats, resolveu fazer um “after” com ele e pediu para o bofe ir busca-la na balada. E eu… e eu??

Eu fui acolhida pelos amigos dela, que muito gentilmente insistiram para que eu ficasse, dentre eles estando o grande problema da noite, o amigo gato. Sabe, eu acho que se ele fosse loiro eu não teria tantos problemas, é que a coisa do moreno realmente pega muito forte. Enfim, conversa pra cá, conversa pra lá, o menino chegou em mim, assim meio tímido, meio que uma sugestão, acho que ele já estava sentindo que eu não seria uma presa fácil…Naquela noite, claro, porque normalmente eu seria a melhor presa ever, aliás, desconfio que se ele tivesse esperado eu tomar mais duas doses de seja lá qual fosse o destilado da noite, eu mesma ia ter tomado a iniciativa. Mas não foi isso que aconteceu, eu ainda estava razoavelmente sóbria e disse que não, porque eu ainda sei o que é melhor pra mim. Mesmo assim o moço me alimentou com café e risadas, me deu carona até em casa e abriu a porta do carro pra mim.

Delicadeza, a gente ainda vê por aqui.

Semanas se passaram, combinei com uma amiga de ir pra uma festa de máscaras (muito amor pelo cara que teve essa idéia), amiga essa que, por acaso ou não, foi a mesma que me apresentou o Garoto Problema ali de cima e já que estava no clima de convidar, aproveitei e convidei ele também #ousadiaealegria. Ambos aceitaram, nos encontramos na festinha, minha amiga passou mal e foi pra casa, agora, adivinha quem sobrou? Sim Brasééll, eu e o moço. E nós dois. E uma festa cheia de desconhecidos.

Desfilou comigo a festa toda, até rolou umas quengas tentando pegar o bofe  distrações, mas no fim das contas ninguém pegou ninguém, nem eu, nem ele, nem eu e ele. Mas rolou conversa e risadas, empréstimo de cachecol e carona pra casa. O que já é muito, em comparação com os homens que eu ando conhecendo. Nesse momento acreditem, minha força de vontade estava trabalhando nonstop pra continuar me lembrando que APESAR de tudo, ele ainda era o cara que não valia um real. E digo isso não mais porque a minha amiga me contou, não, porque depois que comecei a conhecer o rapaz ele mesmo me contou isso, com histórias e exemplos pra ilustrar. Pois é meninas, estudos apontam que tá foda.

Bom, continuando, resolvi fazer um get together aqui em casa esse final de semana, chamei TODOS os meus amigos, todos miaram menos um, adivinhem só quem foi???? Sim, o próprio.

Eu estou começando a acreditar que Deus, ou seja lá qual é a entidade maior que rege o universo, está tentando, com muito afinco, me deixar sozinha com este rapaz. PORQUE NÃO É POSSÍVEL! Ou isso ou aquela história toda de mentalização está começando a funcionar muito sério, estou pensando em fazer o teste essa semana, jogando na loteria.

Enfim, Garoto Problema veio, trouxe um amigo legal, conversamos, bebemos e resolvemos ir para um aniversário de um amigo dele, que estava acontecendo na portaria do inferno aparentemente, já que eu nunca vi tanta gente feia junta na vida. Com exceção dos amigos, já que alguns eram até bem apresentáveis. Mas novamente nada aconteceu, resolvemos ir embora, porque o amigo dele estava concordando comigo na coisa do inferno, só que ele queria ir pra casa e eu queria ir pra gandaia. Então tivemos uma idéia brilhante “vamos levar meu amigo pra casa e depois a gente vê o que faz”, ótimo né?! Todo mundo fica feliz, todo mundo ganha o que quer, certo? Errado.

Gente, conselho pra vida: Se você estiver fazendo um esforço consciente pra não pegar um cara, seja porque você sabe que ele não presta, seja porque ele é ex da sua amiga, ou qualquer outro motivo que te faça acreditar que aquilo vai dar merda, NÃO- FIQUE- SOZINHA- COM- ELE. Obrigada. De nada.

Claro que no longo caminho até a casa do amigo rolaram várias outras idéias brilhantes do tipo:

Amigo: Dorme na minha casa, amanhã eu te levo.

Amigo: Vamos todos dormir na minha casa.

Problema: Dorme na minha casa, você pode ficar no quarto de hóspedes, amanhã te levo.

E é mais do que óbvio que eu não aceitei nenhuma dessas propostas, porque isso aqui não é a casa da sogra, mas então surgiu uma proposta que me pareceu até aceitável (bêbado é uma desgraça), assistir filme na minha casa não era tão ruim, afinal de contas, porque não?! Já era tarde, ou cedo, dependendo do ponto de vista, as baladas já estavam fechando, não tinha mais muitas opções e no fim, a casa é minha, eu faço as regras, nada ia acontecer…né?!

Posso garantir uma coisa pra vocês, se eu tivesse a mesma força de vontade que eu tive com este moleque no meu regime, eu estaria com o corpo de uma Angel da Victoria’s Secret, porque nada aconteceu mesmo. Ele veio aqui, colocamos um filminho, deitamos no sofá de conchinha (porque, é o que eu queria saber) e nada aconteceu, porque eu não quis. Isso sim é uma teimosia sem tamanho. É claro que me arrependi assim que ele saiu pela porta, ás 9 da manhã, mas tudo bem porque o arrependimento passou assim que ele foi seco comigo no whatsapp mais tarde naquele dia. Porque mulher é assim, pode ter acertado 1000 vezes, se cagou uma, É DISSO QUE A GENTE VAI LEMBRAR.

Enfim, agora eu estou em um dilema (lembrando que o dilema é só meu, visto que o cidadão está cagando E andando para a minha pessoa), não sei se eu ligo o foda-se de uma vez e mando o boy pra escanteio, já que homem é uma coisa que não falta nesse mundo, ou se eu mantenho a amizade, ou se eu deixo rolar, ou se eu compro uma bicicleta, ou se eu caso,…

Tô sabendo porra nenhuma, mas essa história está acumulando muito drama e como eu sou péssima em lidar com drama eu acho que vou dar um tempo pra tudo isso esfriar e arrumar uns bofes novos.

Como diria Banks:

“Cause I’m a goddess, you never got this.”

Se não for leve, que o vento leve.

Captura de Tela 2014-06-14 às 21.34.11

Acabei de tomar um pé na bunda.

TA- DAAÁ!!

Por Whatsapp.

TA- DAAÁ!!

Bem vindo ao Essa É Minha Vida. #risos

Conheci o menino, já estava pegandinho ele a mais de mês, ele era um fofo, mandava mensagem, deu parabéns no aniversário, curtia geral as fotos no insta, cheio de dengo pro meu lado, chamou pra sair (só chamou tá gente?!), me ligou (que tipo de pessoa não apaixonada faz isso em 2014?), casou comigo uma festa inteira, IA NA MISSA DE DOMINGO (!!!!!), você pensa que uma pessoa dessa deve ser de bem né?! TEMQUE ser de bem! Mas, os padres pedófilos estão ai pra provar que não é só de santo que vive a igreja, e seguindo esse exemplo está…

Rufem os tambores…

MEU BOFE!

Vou contar uma história pra vocês, que começou quarta passada, quando eu estava conversando com o indivíduo e comentei que eu IA nesta festa. Perceba, eu não disse “acho”, eu não disse “talvez” e com certeza eu não disse “existe a possibilidade”, agora me diga você, caro leitor, qual outra interpretação uma pessoa pode ter da frase “Eu vou na festa” que não seja a que o eu, que no caso se refere a mim, vai na porra festa? Nenhuma.

Ok, guardem esta parte da história que é importante.

É claro que depois de quarta ele fez o Mister M e sumiu, porque estava muito ocupado pegando outras trabalhando muito, mas, como eu já sou vacinada, achei de bom tom dar um alô pro moleque, nada muito sério, algo nas linhas de “Oi! To viva ta?!”, e pensando assim mandei um Whats perguntando da festa. Às 10 da noite. Agora me fala, vocês receberam a resposta?

Nem eu.

E nem preciso entrar no mérito do “eu sei que ele viu porque o Whatsapp é dedo duro”, porque já conversamos sobre isso aqui e eu não quero ser repetitiva.

Bom, ok né?! Geral feliz, geral na festa se divertindo, eu já tinha visto o cidadão, ele também já tinha notado a minha presença, visto que, ele não é cego e eu tenho o dom de me fazer ser notada, mas estava na minha, esperando ele fazer as vezes de cavalheiro e vir me cumprimentar. Tudo estava indo bem, quando de repente visualizo o limmmdoo enfiando a língua na garganta de uma quenga, obviamente que nesse momento fui possuída pelo ritmo ragatanga, mas, sendo a dama que sou, lidei com a situação da maneira mais adulta possível.

Bebendo sozinha o open bar inteiro da festa e contando a história pra todas as mulheres do banheiro, óbvio. A inteligência emocional mandou um grande beijo.

E aí que 18 copos de vodka depois, momento esse que eu já tinha perdido a classe, a noção, a paciência e um brinco, eu fui falar com ele, porque eu não sou tuas nega, e o menino vira e me diz “Puts, nem tinha te visto” e eu respondo “Eu te vi… pegando outra menina” #fofa. Dai começou aquela série de explicações, porque “eu não sabia que vc estaria aqui” (oi? #perdadememória) e blábláblá… Enfim, deu aquela enrolada. Eu sorri, virei as costas e sai rebolando. Eis que, eu não tinha nem chegado até o andar de cima o menino vem correndo, pega no meu braço e pergunta “Você tá bem?”.

Nesse momento eu fiquei na dúvida entre fazer a Nazaré Tedesco e jogar o cara escada abaixo ou só responder, mas decidi apostar na segunda opção e respondi, sorrindo claro, “Obvio que não! Já bebi o bar inteiro pra ver se eu esqueço o que eu vi lá em baixo” só faltou o seu idiota no fim, mas essa parte eu guardei pra mim. E então minha amiga, que é a melhor amiga que existe nessa terra, teve o tato de me puxar e dizer pra ele, desculpa, mas você não vai falar com ela agora porque ela está bêbada, amanhã, se ela quiser vocês conversam. Depois disso eu bebi mais um pouco e fui levada pra casa, porque já não tinha mais condições de eu ficar lá.

Acordo no dia seguinte com a ressaca do milênio, pego o celular e encontro um segundo testamento inteiro, mandado pelo bofe no meu Whats. A mensagem, além de discutir o sexo dos anjos, os conflitos entre Israel e a Palestina e se quem nasceu primeiro foi o ovo ou a galinha, falava basicamente que ele gosta de mim e que em outros tempos eu seria a menina ideal, porém, já passou por muitas desilusões amorosas (só ele viu?!) e nesse momento não está a fim de se envolver com ninguém, que gosta também de outras meninas e está saindo com todas sem a menor intenção de ter alguma coisa séria. Ou seja: Está tocando o puteiro mesmo. E que ele entende que eu não vou aceitar isso, mas que agora, apesar de gostar de mim (me ama, da pra perceber no brilho dos olhos né?!), ele não tem a intenção de me colocar como a única. Em grosseiras palavras: Estou te dando um pé na bunda, um beijo carinhoso.

Se doeu? Claro que sim! Se eu chorei? Rios de lágrimas! Se ele sabe disso? Óbvio que não. Fui pra casa da minha amiga e contei toda a novela, já estava pronta pra não responder nada, eis que, vira o namorado dela e diz “Responde sim, diz pra ele, thanks for the update (o namo dela é meio gringo)” e foi exatamente isso que eu fiz, bem em baixo do pergaminho que ele me mandou eu escrevi:

haha tks for the update

tá tranquilo

bjs

Atente para a risada no começo, já que, como vocês já devem ter notado, bom humor é indispensável pra mim.

Agora antes que me crucifiquem aqui, vamos esclarecer: Racionalmente eu sei que o menino não fez por mal, porém, nesses momentos as pessoas não costumam ser muito racionais e eu sou uma pessoa, então tenho esse direito.

E agora como se esse post já não estivesse grande o suficiente eu vou contar outra história, um: porque eu achei essa história muito legal e dois: porque eu estou a tempos sem escrever então acho que vocês ainda estão com paciência pra ler.

Uma amiga foi pra um show quinta passada na abertura da copa e um cara que ela tinha saído no domingo anterior, pra ir ao cinema #casalzinho estava lá, acontece que o cara é um grude só e ela estava morrendo de medo que o cara ficasse grudado nela. Só que, em dado momento, ela viu o cara com outra e, não satisfeita, ela mandou uma mensagem pra ele dizendo:

você ta namorandinho?

eu tbm

E ai ela ficou com outro cara que ela sempre fica e pagou esse mico desnecessário, porém, insanamente divertido, fazendo o meu dia de hoje ficar menos cinza. Obrigada por isso.

E agora eu termino esse post com um ensinamento do Dalai Lama, não pera, é da Dori mesmo, sempre confundo os dois (to muito engraçada hoje #SQN).

Isso me dá tic tic nervoso.

9712233354_6f482c6f38_o

Eu tenho uma teoria que existem dois tipos de mulheres no mundo: as neuróticas e as atrizes.

As neuróticas são aquelas tipo eu e você, que tem crises toda vez que o bofe “ta estranho“, chiliques toda vez que a ex da like na foto de perfil do lindo, surta quando uma quenga vem dar em cima dele na balada bem ao seu lado, e as outras são aquelas que fazem tudo isso, só que com uma discrição Jedi pra que ninguém perceba. Ou seja, todas as mulheres são neuróticas, não tem como evitar, faz parte do nosso charme.

Sabendo disso, venho aqui fazer um apelo. Não é por nada, eu entendo que tem caras que estão interessados e caras que não estão, que tem caras que são mais ocupados, mais desencanados, mais naturalmente tímidos e etc. Eu super compreendo isso, agora o que eu não compreendo é porque a pessoa que costuma demorar em média 5 minutos pra me responder mensagens, assim, de um dia para o outro passa a demorar 2 horas. Isso, minha gente, eu não consigo entender.

Isso é desesperador pra qualquer mulher, mexe com a saúde mental da pessoa sabe?! A pessoa sempre te responde rápido, sempre atende as suas ligações, sempre esta ALI. Passou os últimos dias puxando assuntos esdrúxulos com você. Ai você pensa, “poxa, vou ser legal hoje, vou demonstrar interesse pra não dizer que não estou nem aí” e a pessoa faz o que??? Demora 2 horas pra responder o seu “hello” (super fofo, diga-se de passagem), com um “e aii” bem do sem graça. Agora me fala, é ou não é, pra mandar tomar no cu?

Aí vem aquela sua amiga super equilibrada e sensata (porque o problema não é dela) e diz que “ele deve estar ocupado”, bom, então ele não esteve ocupado em nenhum momento nas últimas semanas, já que ele passou horas no papo furado comigo durante todo esse tempo. A única desculpa plausível pra isso seria: “puts, é que cortaram a minha mão fora, ai não consegui te responder”.

Entendam, o problema não é o cara demorar pra responder, eu consigo entender que um cara que sempre demora pra responder, sempre vá demorar pra me responder. Ou que um cara que as vezes demora 5 minutos e as vezes demora 2 dias, seja imprevisível. O que me incomoda são os que: uma hora estão e outra hora não. Sério gente, vamos ser claros nas intenções e poupar a gastrite do coleguinha, muito mais simples.

Eu acho que as pessoas seriam muito mais felizes assim, economiza energia, como diria uma amiga minha “ou o telefone toca, ou não toca”, sem esperar a mensagem alheia que não vai chegar. Você só fica no papo furado se tiver algum interesse, eu só te respondo se eu tiver interesse e o mundo continua girando, assim eu não perco meu tempo e você não perde a sua paciência, combinado?

Esse povo que fica mandando mensagens cruzadas… brincadeira viu…

Tem gente que escolhe ser feliz

230_large

Sabe, eu sou uma pessoa feliz, verdadeiramente feliz, do tipo que não importa o que aconteça vai arrumar algum motivo para sorrir, eu sou tão feliz que as vezes as pessoas chegam a ficar irritadas, porque elas não conseguem entender o motivo de tanta felicidade. Lógico que eu também tenho meus dias ruins como todo o resto da humanidade, mas eles não são muitos.

E ai me aparece uma amiga, que eu ADORO e que é uma pessoa ótima, mas que SÓ reclama. Entra dia, sai dia e toda vez que a fofa vem falar comigo é uma desgraça nova. Já até comecei a pular a parte do “tudo bem?” das conversas informais no face, porque já sei que lá vem pedrada.

Eu sei que consolar amigas faz parte, mas depois de dois meses falando a mesma coisa, você espera que a linda já esteja melhor néam?! Porém não, porque, aparentemente, a cada vez que ela resolve um problema ela arruma mais dois.

Gente, vamos lá, prestem bastante atenção nisso, essa pessoa quer ser infeliz! É uma escolha, não importa o que a amiga linda dela diga, ou quantos caras gatos cheguem nela, ou quantas coisas boas aconteçam na vida dela, porque ela vai sempre, S-E-M-P-R-E, achar um novo problema, uma nova desgraça pra chorar.

Ai você pensa “coitada, ela está deprê”.

E eu te respondo, então sai da deprê caramba! Sério gente, só fica na bad quem quer ficar na bad.

A equação é muito simples:

Você tem um problema. Um exemplo besta: o mais novo boy maravilha não te responde no Whatsapp. O que você pode fazer para RESOLVER esse problema? Nada.

O celular é dele, o dedo é dele e a vontade de responder idem. Sendo assim, a não ser que você faça a Shakira (loca loca, loca…) e obrigue o rapaz a te responder com ameaças ou qualquer coisa assim, você não pode fazer absolutamente nada. Então aceita que dói menos.

Aceita, larga o celular, liga o foda-se e vai fazer alguma outra coisa, tipo seguir com a sua vida.

A partir do momento que você ligar o foda-se isso passa a não ser mais um problema, é tipo uma mágica. Você simplesmente deixa pra lá, porque não há mais nada que você possa fazer.

Mas perceba, o que eu estou tentando dizer aqui, não é pra você tocar um foda-se pro mundo, mas sim para você analisar o problema, encontrar as soluções possíveis, escolher uma delas e seguir com a sua vida. Sem choro nem vela. Em outras palavras, não fique morando com o problema, totalmente na inércia, na indecisão, esperando as coisas acontecerem, faça alguma coisa para tirar isso da sua lista de problemas. Nem que para isso, você tenha que simplesmente aceitar que aquele problema não tem solução.

Isso minha amiga, é escolher ser feliz. ESCOLHER entendeu bem? Porque você não espera que a felicidade venha e de um tapa na sua cara, você vai atrás dela.

Não me cobre afeto!

Captura de tela 2013-05-31 às 01.07.08

A história é sempre a mesma, você foi pro badalo, conheceu o boy, ele pegou seu face, começaram a conversar, ele pediu seu telefone (pode começar a soltar fogos) e o Whatsapp entrou em ação.

Nos primeiros dias ele vinha falar com você de vez e quando, puxava um assunto aqui, outro ali, conversas curtas. Você achou fofo. Depois ele começou a vir falar com você mais vezes e o assunto não acabava mais como antes, ele sempre arrumava mais alguma coisa para falar, porém, apesar de gostar da atenção, você está começando a achar que o boy é meio psicopata tem mais o que fazer da vida e por mais que perceba o aumento significativo da atenção do lindo, continua a responder as mensagens no seu ritmo, afinal, ninguém aqui está á disposição.

E ai começa. Você fica uma hora sem olhar para o celular e quando olha, não vê uma, mas cinco mensagens, em horários diferentes, todas com perguntas. Ou seja, o cara mandou uma mensagem, você não respondeu, passou 15 minutos e ele mandou outra! Alôw desespero! Ok, você responde todas E GUARDA O CELULAR NA BOLSA, porque isso é o que as pessoas normais fazem, e vai fazer o que tem que fazer, tipo trabalhar, ir na academia, jantar, viver e etc… E quando olha o celular, tipo DUAS horas depois (não é como se você tivesse ficado anos incomunicável), tem lá umas 3 mensagens, todas do boy (óbvio), sendo que uma é um assunto X e as outras duas são mais o menos assim : “?????????”, “: (“, oii????”

Morri. De. Desgosto.

Eu queria aproveitar essa oportunidade, pra mandar um salve para o primeiro pentelho que pensou, “Nossa, ela não me respondeu! Já sei! Vou mandar outra mensagem com 15 pontos de interrogação AND uma carinha triste, porque assim ela vai ver como eu fiquei puto de ela ter demorado e vai responder imediatamente!”, sério amigão, você errou muito aqui. Eu não sei quem foi que disse que agir como um total neurótico vai fazer a menina te dar mais atenção, mas pode ter certeza, esse cara morreu solteiro. Fica puto, arranca os cabelos, bate a cabeça na parede e me ignora pra sempre, mas não me cobra afeto!

Odeio que me cobrem afeto, sério, não faz isso, manda a mensagem e espera eu te responder, ou ok, se você estiver morrendo de ansiedade pode até mandar mais uma falando outra coisa, completando a mensagem, sei lá, só não me venha com “você não vai me responder?”, primeiro porque se eu não for te responder essa pergunta não vai fazer a menor diferença e segundo porque, quando os caras fazem isso eu fico possuída e passo a ignorar o fofo de propósito, só pra ele aprender a esperar.

E o pior, esse é tipo de cara que, quando finalmente consegue arrumar um date com você, faz o que ?? Olha pra você e fala “blábláblá… você nunca fala comigo… você nem liga pra mim…”, convenhamos cadê o amor próprio desse encosto? Gente, eu estou te disponibilizando um tanto de afeto e carinho, se você não está feliz com esse tanto, não venha me encher o saco, ACHE ALGUÉM QUE TENHA MAIS PRA TE OFERECER, porque isso não se cobra! Isso sem falar que o meu ego (que já é imenso) vai parar na lua né?!  O que me faz menosprezar mais ainda o menino (#megera).

Sério pessoa desesperada, as mulheres curtem esse lance do cara que não te dá muita bola, tipo “Ó meu Deus, eu não sei o que ele está pensando” é legal isso, mulher adora um drama. Então com a próxima menina, segura a merda da sua onda e manda menos mensagens, você vai ver como mais dia, menos dia, ela vem te procurar.