Bitch please, não seja um poser.

Screenshot001

Não existe nada mais chato do que alguém tentando ser o que não é.  Aquela encenação barata nunca cai bem, é como assistir um cachorro andando nas patas traseiras, incomoda a vista, fica desconfortável. Da vontade de dizer “por favor, para que ta feio” mas você não pode, porque a pessoa em questão não vai te ouvir em 11 de cada 10 casos, elas nunca ouvem, estão sempre muito ocupadas tentando enganar o resto do mundo.

E quando é amigo seu então?! Você fica lá do lado só pensando, gente, mas quem é essa pessoa? Ele não assim!

Normalmente inseguros (muito, absurdamente), tem dificuldade em acreditar que sejam suficientes simplesmente sendo o que são.  Que não vão chamar atenção, não vão ser notados, nem amados, admirados e invejados. Não vão pegar as pessoas mais bonitas da festa, não vão tirar as fotos mais legais e não vão ser amigos dos mais influentes. Mas o que eles não sabem ou não conseguem enxergar é que sim, eles são suficientes, todos somos, sendo exatamente – EXATAMENTE – quem somos. Fica mais natural sabe?!

Dá pra ver nos olhos o esforço que o outro faz quando está tentando agradar o universo inteiro, é cafona isso gente pelamordedeus!

Deixa de teatro, só seja, tenha coragem de ser exatamente quem você é mesmo com todos os defeitos que você sabe que tem (porque todo mundo tem defeitos galera, quanto mais cedo vocês aceitarem os seus, mais cedo vão ser felizes) e as pessoas vão te notar, acredite em mim. As pessoas vão te amar muito e vão te amar pelos motivos certos, elas vão estar por perto mesmo sabendo que você combina roxo e laranja e come pizza com abacaxi, porque isso não faz a menor diferença. E quem não estiver por perto é porque não era pra estar, porque realmente não combina com você, com quem você é, e não há teatro no mundo que conserte esse tipo de incompatibilidade.

Eu tenho uma amiga que passa pelo menos 20% do ano brigada comigo, nós brigamos a cada 3 meses, as vezes menos, pelos mais variados motivos. Nós duas temos inúmeros defeitos e já fizemos o favor de jogar isso uma na cara da outra diversas vezes (sinceridade, a gente vê por aqui), mas isso não importa, o que importa é que mesmo sabendo que mais dia, menos dia, vai rolar um ódio mútuo por conta de outra briga, nós ainda somos amigas. Porque amor é isso gente, é gostar do outro mesmo sabendo que ele é insuportável, todo resto é silêncio.

Então não esquece, você é suficiente, você é incrível e maravilhoso e todo mundo (que importa) acha isso, agora só falta você.

“Ele tá vindo amiga…AJA NATURALMENTE”

rua

Gostaria de começar dizendo que eu não sei por que as amigas fazem isso. Afinal de contas TODO O MUNDO sabe que, a partir do momento que você diz pra alguém agir naturalmente a pessoa vai virar um Gremlin, é como quando alguém fala “não olha agora” e antes da pessoa terminar a frase você já está transtornada virando para todos os lados. Mas o causo é que quando isso acontecia comigo, eu (ao invés de ser normal) tentava ser sexy, porém eu não sei ser sexy. Sabe, eu sou engraçada, esperta, interessante, modesta, mas sexy… Isso eu não sou.

Ao que parece, todas as vezes que eu tento mostrar essa “sensualidade da mulher brasileira” que existe em mim, meu cérebro para de funcionar, a função motora da defeito e eu começa a andar torto e babar. E é exatamente nesse momento, que o carinha que eu estou tentando conquistar, olha pra mim. Obrigada universo.

Eu já tentei de vários jeitos. Teve uma época em que eu comecei a dançar balançando o cabelo, porque um cara tinha me dito que eu ficava sexy dançando assim, daí claro, levei isso pra vida e passei a dançar balançando o cabelo sempre e, levando em consideração a minha falta de conhecimento no assunto “Ser Sexy”, eu cheguei à conclusão que quando mais eu batesse o cabelo pra dançar, mais sexy eu seria. Porque não né?! Resultado: Eu virei um cosplay da menina do Exorcista dançando. #EspantaBofe

Outra época eu cheguei à conclusão que dançar sexy era rebolar (eu não sei por que eu cheguei a essa conclusão). Passei a rebolar horrores, funk era comigo mesmo, até minhas amigas olhavam pra mim com cara de “amiga, para“, mas eu segui na minha empreitada de rebolar feito uma louca até que um dia um bofe, QUE ESTAVA COMIGO, falou: “Querida, que vergonha de você”. Ele falou brincando, massssss… nem tanto. Resultado: Inês Brasil estava quase me chamando pra lançarmos uma dupla.

Sabe, ser sexy é complicado porque você nunca sabe onde acaba o sexy e onde começa o vulgar, o estranho, o torto caindo baba do canto da boca, bom, pelo menos eu não sei.  É uma linha tênue, quase imperceptível e que também depende do ponto de vista de cada um, e eu definitivamente não tenho estrutura pra isso.

Nessa época eu já estava começando a desconfiar que talvez sexy não fosse a minha praia, mas dai começou o boom das selfies. Era um tal de selfie na academia, selfie na praia, selfie mordendo o beiço e eu pensei: “Poxa, mas se todo mundo consegue sair bem nessa merda, eu também devo conseguir”. Pensei errado. Aí comecei a assistir aquele programa “The America’s Next Top Model”, pra ver se eu aprendia alguma coisa sobre como sair bem em fotos, e lá eles diziam que você tinha que “sorrir com os olhos”.  E daí pronto, passei a usar essa técnica sempre. Resultado: Eu, não só, passei a sair com cara de susto EM TODAS AS FOTOS, como também tive que escutar das minhas amigas “nossa amiga, mas que cara é essa que você fez?!“. Sorri com a boca mesmo que é melhor, querida.

Eu queria poder dizer que era recalque, mas era sinceridade mesmo. A partir dai eu tive certeza que teria que começar a trabalhar outras qualidades se quisesse ter sucesso na hora de conquistar um bofe e foi ai que eu foquei na coisa da simpatia. Sabe gente, eu descobri que se tem uma coisa que importa na hora da conquista é ser legal. Você pode ser sexy, magra, linda, gostosa, rica, ter os glúteos mais duros da galáxia, se você for uma chata dos infernos, nada vai adiantar.

Então se tiver que escolher ser alguma coisa, seja legal, vale mais que um bom rebolado, conselho de Diva.

Estamos de olho

Captura de Tela 2014-05-02 às 17.17.51

Pra você, limmda, que anda vindo aqui, copiando as minhas citações e postando na sua página do face/blog, sem colocar a fonte (no caso o meu blog, com os meus textos), só queria te dizer que Deus tá vendo. E eu também.

Um beijo carinhoso, nessa sua cara de pau.

PS: Vamos ser claros aqui, se você não sabe do que eu estou falando, é porque essa mensagem não é para você, desconsidere. Se você compartilhou/copiou/citou qualquer coisa daqui e EM ALGUM LUGAR está escrito o nome do blog (você é linda, nós te amamos), essa mensagem não é pra você. Se você achou uma frase engraçada e postou na sua timeline do Face, essa mensagem não é pra você (gente, eu não sou o Hitler). Agora se você tem um blog/página no face/site e postou alguma citação ou texto daqui e fez a total egípcia, como se o texto fosse seu, somente nestes casos, essa mensagem é pra você.

Ironias à parte, estou falando numa boa, no hard feelings.

Os altos e baixos do Lollapaloza

Captura de tela 2013-04-11 às 01.29.11

Eu fui.

Sabe, ano passado eu cometi o erro de não ir e me arrependi amargamente, então esse ano eu prometi a mim mesma que nem que eu tivesse que gastar todas as minhas economias, eu ia nessa merda. Fui e agora estou aqui pra contar os altos e baixos do que eu vi e ouvi no festival de burguesinhos mais badalado de Sampa City.

Primeiro dia:

Cheguei eu toda lindona, no melhor estilo “sou rockeira, não fale comigo” de botinha de couro e camiseta de mustache (um beijo pra você que sabe do que eu estou falando). Primeiro erro né, porque não dei nem cinco passos e atolei naquela grama que estava quase um mangue. Mas ok, tirando o fato de que a minha bota foi destruída, sem problemas, estamos ai pra curtir a música.

Fomos nós para o show do Deadmau5, um cara chega na minha amiga com a seguinte frase:

– Quer que eu segure a sua latinha?

Vamos lá, você, ser humano do sexo masculino com pelo menos meio cérebro, você consegue fazer melhor que isso vai?! Eu fico pensando o que se passa na cabeça de um cara como esse, o que ele realmente acha que vai acontecer, será que ele pensa que vai pegar a menina com essa?

Daí fomos para o show do The Killers, estamos lá super curtindo quando escuto um cara atrás de mim chegando em umas meninas:

– E ai?! Gostando do show?

Eu não ligo do cara chegar em mim em um festival de música, aliás eu não ligo de um cara chegar em mim em lugar nenhum, afinal, não está fácil pra ninguém e não estamos nessa vida a passeio. Mas poxa vida, você paga uma nota pra ver a banda, se propõe a ficar mais de uma hora sendo empurrada e amassada só pra conseguir um lugar razoável na multidão (aquele onde você consegue visualizar o topo da cabeça do vocalista sem ter que pular) e o cidadão acha que você tem que dar a maior atenção do mundo pra ele, o Zé da Linguiça que veio perguntar sobre a lua no meio do show, vamos combinar que não  rola.

E o mais engraçado, quando você está lá se ocupando em ser linda, sem fazer absolutamente NADA entre um show e outro (momento em que você espera que algum macho alpha venha dar o bote), ninguém vem falar com você. Mas tudo bem, se a vida fosse fácil nasceríamos todos já grudados no par perfeito.

Outra coisa que me incomodou profundamente, essa moda de legging “Beetlejuice” (listrada de preto e branco) que estava rolando solta por lá. Gente, se você tem duas toras de jatobá no lugar das pernas não vai inventar de colocar calça listrada PELO AMOR DO SEU ESPELHO! Aliás a não ser que você seja um pau de virar linguiça, não use legging com nenhum tipo de estampa, sério, é triste.

Segundo dia:

Fomos pra ver um show no começo da tarde, eu que já estava esperta fui de galocha. É feio? É! Mas sapato custa dinheiro gente, não da pra ficar estragando dois por festival, sinto muito.

Mas foi nesse dia que eu percebi a melhor parte do festival, os caras bonitos. É sério isso gente, eu fico me perguntando onde é que essas beldades se escondem no resto do ano, um dos caras era tão gato que eu quase parei ele pra dar parabéns. Tenso. Mas é óbvio que eles estavam lá só pra enfeitar o show, porque também não vi nenhum deles chegando em nenhuma menina. Típico.

Tirando isso eu também tive o desprazer de cruzar com um certo alguém duas vezes. Deus tem um senso de humor insano quando se trata da minha vida, 55 mil pessoas, 4 palcos, uns 10 peguetes que eu estava rezando pra encontrar “por acaso” e eu cruzo justamente com a ÚNICA pessoa que eu estava dispensando. Duas vezes. Seriously?

Bom, no fim das contas fomos para o show do The Black Keys, a música estava ótima, o show estava ótimo, mas o vocalista, meus queridos O vocalista. Ele merecia um parágrafo só pra ele (e o olhar 43 dele), mas como eu sei que ninguém aguentaria isso vou resumir toda minha admiração em uma só frase, Dan Auerbach fez o show com a roupa que ele pinta a casa (calça manchada e camisa furada) e ainda assim eu casaria com ele. Tipo, agora.

Dan, me liga. Porque Caio Castro é coisa do passado. Beijos.

 

Amiga sem noção, todo mundo tem uma.

1 (3)

Estou aqui hoje pra falar de um assunto que interessa a todos, as amigas sem noção. Não tem como fugir, todo mundo tem uma amiga que passa dos limites em todos os sentidos e se você ainda não tem, pode ter certeza que o seu karma ainda está por vir.

Pois bem, como vocês podem imaginar, eu não fujo a regra e tenho uma amiga que simplesmente não entende as barreiras do bom senso quando se posta coisas no mural de outra pessoa, ou qualquer outra barreira do bom senso pra ser bem sincera. Ela é aquele tipo de amiga que manda indireta pelo face e acha que ninguém está percebendo. Pois é, se você que nem conhece a fofa, está batendo a cabeça na parede de desgosto depois de ler isso, imagina eu que sou amiga?! Mas beleza, como toda boa amiga brutalmente sincera, eu disse:

– Amiga, para de postar essas coisas, todo mundo percebe que você está na maior bad da terra e pior ainda, que é por causa de homem.

Mas ela, como toda boa amiga sem noção não me ouviu e continuou alegremente (só que ao contrário), postando letras de músicas que poderiam ser consideradas trilhas sonoras pra suicídio, no status do Face (quanta classe).

Bom, essa situação constrangedora durou alguns meses, isso porque claro, sempre tem algum outro sem noção pra dar ibope, perguntar se está tudo bem, mandar “força” nessa hora difícil, dizer que “tudo vai passar” e que está “lá” caso ela queira conversar. Isso tudo nos comentários, assim todo mundo pode ficar ciente do tamanho da bota que a linda deve ter levado. Bem fino né?! Só que não! Se você “amigo” quer dar a sua “força” nessa hora difícil, acho mais do de justo, afinal de contas amigo é pra isso, mas pelo amor da nossa senhora do bom senso, vai dar força por inbox! Por telefone, pombo correio, código Morse, sinal de fumaça, sei lá, chama a menina pra um café mas não publica na merda do face pra todo mundo ver né?!

Continuando a história, um belo (e santo) dia ela se tocou que isso não é legal e parou de postar esse tipo de coisa na página dela. Lógico, porque aí ela passou a usar a timeline alheia como confessionário, no caso a minha. Me fala se não é pra encher de porrada? Você ta lá, toda linda, analisando tudo o que você posta, tomando o maior cuidado da terra, afinal de contas nós temos bophes para impressionar, aí a nega vem e posta o clipe oficial da “Lei do Desapego”, com o perdão da palavra, mas é de cair o cu da bunda né?!

Poxa, você quer me mostrar o clipe? Ok! Você quer fazer uma piadinha interna? Ok! Você  ta afim de dividir o musicão que você descobriu outro dia e que por acaso tem tudo a ver com a nossa conversa de mais cedo? O -K ! Eu também faço isso, só que eu tenho a consideração de deixar A PESSOA escolher se ela quer ou não mostrar aquilo pra todo o resto da lista de amigos dela.

Vamos ser bem claros aqui, eu amo ela, ela é uma fofa, linda, iluminada, mas sinceramente eu não sei o que fazer! Não sei se eu mando uma indireta báaasica, não sei se eu chego NA MORAL e falo “Xuxu, vamos trabalhar a discrição”, não sei se eu bloqueio logo a minha timeline pra posts alheios e acabo logo com essa palhaçada de amigo queimando seu filme. Eu não acho justo que por causa de uns poucos meigos que faltaram na aula de simancol todos os outros tenham que ser bloqueados, mas também não da pra ficar pagando de mal comida só pra fazer companhia pra sua amiga no limbo dos relacionamentos. Porque até amizade tem limite né?!

Enfim, ainda não sei o que vou fazer quanto a isso, mas queria dividir essa minha angústia  e tentar alertar algumas almas com a minha história trágica.

Quem sabe você também não é uma amiga sem noção e só descobriu isso agora!?

Um sentimento chamado preguiça

598864_279896292142577_1537569766_n

Sabe, como toda boa garota cínica eu sou romântica, ou pelo menos penso que sou, o que é quase a mesma coisa. E até esse momento da minha vidinha mais o menos eu pensava que, como toda cínica que pensa que é romântica eu queria um amor, sabe, aquela coisa estilo Frejat (me julgue, eu não ligo) “Procuro um amor que seja bom pra mim, vou procurar eu vou até o fim…” e eu era feliz assim.

Mas ultimamente tenho percebido que não sei se é realmente isso que eu quero, amores, romances, rolos isso dá trabalho galera! Um trabalho que na boa, eu não sei se eu estou disposta a ter nesse momento, pensa comigo, começa com todo o desgaste mental pra parecer legal/inteligente/fofa nas conversas por Whatsapp, depois você surtando pra escolher o look ideal pra sair com ele, porque óbvio, você tem que ser sexy e clássica e autêntica tudo na mesma roupa e sem falar em toda aquela coisa da manutenção, não da pra você sumir quando da vontade, afinal estamos falando aqui de relacionamentos, você tem que encontrar um equilíbrio entre o “amo você” e o “tô cagando”, isso não é fácil.

Outra coisa, nesses tempos de Google em que a gente vive, se você quer um amor amiga, você tem que ter saúde mental pra aguentar toda a pressão psicológica do “leu e não respondeu” as pessoas fazem isso, eu não sei porque mas fazem é um fato. O nego leu a sua mensagem, tá la escrito não da pra negar e simplesmente escolheu, veja bem, ES-CO-LHEU não te responder, sério não to com saúde pra isso, como diria uma amiga minha “Me dá uma chinelada na cara, mas não fica sem me responder”.

Agora me fala, pensando em tudo isso, será que vale a pena? Não vale.

Não to falando vamos todas entrar no convento porque o mundo não tem salvação, vai na festa, pega o cara, curte, dança, faz cagada, entra na vibe do “todos os grandes felinos me pertencem”, não tem problema, mas entrar em um rolo agora? Sério mesmo? Só se o cara valer muito a pena. E não quero dizer o mais bonito, quero dizer o que estiver fazendo o maior esforço, tipo, o cara já tomou 80 botas minhas e continua me chamando pra sair, ok, vamos dar uma chance, vamos revisar seu caso e entraremos em contato assim que eu estiver com paciência.

Por fim, enquanto eu estiver nessa vibe, não, eu não quero amores, eu quero súditos.