Maturidade, esse monstro que come criancinhas.

10259877_10152051828797507_6578155636590393710_n

Sabe, é difícil admitir, mas chega um dia que a gente precisa reconhecer que cresceu. As festas de faculdade já não têm mais pessoas da sua idade, seus amigos começam a casar, encarar a ressaca já não é tão fácil e o principal: a gente começa a pensar no que faz.

O principal sinal de que você já é um mocinho (a) crescido (a), é quando você quer muito fazer uma coisa, mas não faz porque SABE que vai dar merda em algum momento. E eu tenho feito muito isso, então tenho conhecimento de causa pra dizer que é uma merda. A sua consciência está constantemente de traindo, é como se o lado do anjinho ganhasse 90% das suas discussões mentais. Mas tudo bem porque em algum momento todos teremos que passar por isso, te faz uma pessoa melhor, ninguém gosta de gente infantil.

Mas as vezes, bem as vezes, você se pega pensando como seria tão mais fácil só fazer as cagadas e tudo bem, depois você resolve, as vezes a gente é maduro por costume e não por vontade. Digo isso porque recentemente eu me ferrei, pra variar (risos, muitos risos), com um moço graças a minha maturidade e, não que eu esteja arrependida, porque eu não vou dar o braço a torcer sei que no fim das contas foi melhor assim, mas digamos que se eu pudesse voltar no tempo alguns capítulos da história sofreriam leves modificações.

Mas enfim, senta que lá vem a história.

Começou com o clássico, garoto conhece garota, acontece que, o garoto não valia nem um um tufo de cabelo velho e a garota valia pelo menos o último gole do Yakult. E aí que a garota, que no caso sou eu, não pegou o cidadão, mesmo tendo inúmeras chances, porque ela sabia que, se ela pegasse, ele provavelmente sumiria da vida dela forevis e ela não queria isso, porque apesar de tudo, o cara era legal e eles se davam bem. Então ela chegou a conclusão que era melhor ter um amigo putão, porém insanamente legal, do que um ex peguete legal, porém cafajeste. #alinhandoexpectativas

Porque amigos fazem diferença na vida da gente, ex peguetes não.

E sempre tem aquele lado Sandy do seu cérebro que acha que um dia ele vai deixar de ser cafajeste e aí quem sabe né?! Tudo pode acontecer… Tudo, inclusive ele conhecer uma quenga e começar a sair com ela. Né?! A gente nunca pensa na pior das hipóteses.

Bom, nem preciso dizer que eu rodei, que eu estou com um ódio mortal dessa mina e espero que ela fique careca nas próximas 24 horas (ti cuida mina, que a minha praga pega). Se a culpa é dela? Não. Se é justo? Não. Se eu estou ligando pra isso? Não. Eu sei que eu não tenho direito de sentir ciúmes porque a cagada foi minha, que não sei o que quero da vida e fico querendo controlar o mundo e, como disse minha amiga, “Não vem com essa, porque eu te conheço e se você quisesse mesmo tinha pego”. Mas paciência, não é questão de ter direito ou não, eu não estou indo lá bater na porta dele pedindo explicações, eu estou tendo o meu chilique aqui, quietinha, acendendo a vela da macumba sem fazer escândalo.

Masss… Agora que a cagada já está feita, o que me resta é deletar este bofe da lista de possibilidades, ligar o foda-se e esperar minha amiga que está voltando de viagem em 3 semanas me trazendo um batom mara e que vai comigo para todas as gandaias deste planeta.

Porque bofes podem ser passageiros, mas amigas que te trazem maquiagem de London, essas são pra vida toda.

Anúncios

Guia da Pegação

9715877787_48b93ee8b5_o

Homens do meu Brasil, vocês andam moles demais, isso é um fato. E pensando nisso (e na preguiça que eu ando sentindo de certos caras), vamos esclarecer aqui alguns passos básicos que um ser humano, do sexo masculino, com pelo menos 1/2 cérebro, deve seguir se quiser ser considerado um homem sem preguiça, aquele com O no começo e I no final, o de verdade, sem frescura, que todas nós queremos.

Passo número 1: Defina suas prioridades

Vamos começar com a regra básica: Se pegar mulher não está nas suas Top 3 Prioridades, você já não serve pra isso. Não me importa se vai estar em primeiro lugar ou em terceiro e também não me importa quais serão as outras duas, isso é irrelevante. Eu posso estar perdendo para o seu VIDEOGAME, eu não vou ligar, contanto que me pegar esteja entre as 3 primeiras. Estamos entendidos?!

Passo número 2: Demonstre interesse

Lindão, não existe coisa menos “macho alfa” do que homem que faz doce. Mulher cansa a gente não gosta de ficar inflando o seu ego (gigante) a troco de nada, acredite. Então se a menina está te dando mole e você tem o mínimo interesse nela, FAÇA ALGUMA COISA, porque cedo ou tarde ela vai desistir e passar para o próximo e aí meu amigo, só lamento por você.

Passo número 3: Tome iniciativas

Já sei, mas você é inseguro/tímido né?! Problema seu. Engole o choro e chama a menina pra sair, pra tomar um café, pra ir ver grama crescer se você gostar mais, o que interessa é chamar. E se você é um daqueles que fica aguardando a menina te chamar, deixa a tia contar um segredo, se você deixar todas as iniciativas pra ela tomar, o dia que ela cansar (e ela vai cansar) acabou! E ainda vai sair falando que você é mole pra todas as amiguinhas, olha só que bacana?! Então seja homem e chame você, na pior das hipóteses você vai acabar saindo com o orgulho ferido, mas ninguém nunca morreu disso e com certeza você não será o primeiro.

Passo número 4: Seja decente

É muito simples: Quanto mais decente você for, mais mulher você vai pegar. Não to pedindo pra casar, é só ser decente. Agora se você não sabe o que isso significa meu bem, vai perguntar pra sua mamãe que ela te explica, porque com certeza ela sabe.

Tá vendo, nem é tão difícil assim vai?! Campanha por um mundo com menos “tô com saudades” e mais “desce que eu tô passando”.

E pra você lindo que já faz tudo isso, parabéns, você é o máximo, nós te amamos. #multiplicasenhor #nãoépelos20centavos

Aceita que dói menos

nc3a3o-existe-amor-em-sp-1

Tem 4 bofes na minha vida nesse momento. Quando eu digo “na minha vida” quero dizer estão ai presentes, porque pegar mesmo eu não estou pegando nenhum deles.

E que abram as portas da esperança…

O bofe número um é o Fraldo. Ele, como vocês podem imaginar, é mais novo, 3 anos mais novo pra ser mais exata e, sim, antes que você me denuncie, ele é maior de idade. Eu conheci esse nego a dois anos atrás, numa balada qualquer, detalhe, enquanto estava pegando o amigo dele, que é lindo (moreno, alto, bonito E sensual), mas não é muito esperto, e ele mesmo foi quem me apresentou o Fraldo. Estávamos na área de fumantes, devido ao calor digno dos mármores do inferno de dentro da balada, e o fofinho resolveu me apresentar para os amigos dele, ele aparentemente achava que tinha o amigo perfeito para apresentar para a minha amiga e eu fingi estar interessada no papo, porque é isso que as mulheres fazem. Aconteceu que, uma vez que ele me apresentou o tal amigo, que no caso era ninguém menos que Fraldo, nós engatamos numa conversa que durou aproximadamente umas 3 horas. Inicialmente nenhum dos dois tinha qualquer intenção de se pegar, mas depois de conversar todo esse tempo com ele, sem ficar sem assunto, tive que admitir que o menino era realmente esperto. E gente boa. E tinha senso de humor. E não dava pra negar que ele era bonito também (Multiplica Senhor). Aí eu fingi não perceber que ele também era infantil e nós tivemos um rolo relâmpago. Mas ai você me pergunta: Se foi relâmpago porque ele está sendo citado aqui? Bom, acontece que nós viramos amigos, acho que no fim das contas era nisso que a gente era bom mesmo. E apesar de eu estar muito, mas muito mesmo, satisfeita com essa situação, como toda mulher, eu também sou louca, então sempre rola um pensamento de “mas e se a conversa de 3 horas foi uma mensagem que o destino mandou pra dizer que we belong together e nós estamos ignorando?” e daí eu lembro que existem duas pessoas nessa relação e que uma delas (ele, caso vocês estejam na dúvida) não parece estar muito preocupada com o fato, então eu me obrigo a deixar pra lá também. Diariamente.

Agora o bofe número dois, o Pinóquio. Como o nome já deixa a entender, ele mente. Bastante. Eu descobri isso depois que nós já tínhamos terminado (infelizmente), mas, antes tarde do que nunca néam?! O que acontece é que, na época que estávamos juntos, esta pessoa me trocou por uma linda que eu apelidei ca-ri-nho-sa-men-te de Sapo Boi. Só que além da papada, esse ser mítico agora também tem chifre, já que o Pinóquio fez o favor de trair a menina com toda uma população brasileira e vira e mexe ele vem com uns papo estranho pro meu lado. Isso porque, é claro, depois de passada a minha ira, nós também viramos amigos (eu tenho essa mania insana de virar amiga de peguete, é um terror). E nós nos damos bem, ele sabe lidar comigo e daí eu penso que ele seria uma possibilidade, caso ele não fosse um tão completo cachorro.

Ai temos o bofe número 3, o Marido da D- Edge. Grudou em mim no dia que me conheceu, pediu telefone, Facebook, endereço, CPF, nome da mãe e marcamos o dia do casamento. Passou O MÊS falando comigo por Whats, mensagem pra lá, beijinho pra cá e ai você me pergunta: Mas então o que ele fez pra estar aqui? Nada. Ele não fez nada, não chamou pra sair, nem pra jantar, nem pra tomar sorvete. O máximo que este abobado fez, foi tentar me convencer a “aparecer” na festa que ele ia. Perceba, ele não disse, “vem comigo?” ele disse “vai lá”, ou seja, ele não queria sair COMIGO, ele queria que eu estivesse lá, porque assim ele tinha a garantia que pelo menos uma ele ia pegar. E eu ainda dei uma canja pra ele consertar a cagada dizendo que “eu até iria, mas, as minhas amigas não animaram e eu não vou pra lá sozinha”, ou seja, não, meu querido, eu não vou ficar indo atrás de você em festa, como diria Katy “Diva” Perry “you’ve got to wine and dine me”, até porque o Fraldo estaria na festa, logo, se alguém ia ser plano B de alguém, essa pessoa era o Marido.

E finalmente bofe número 4, o Lentinho. Qualquer cara que consegue ser apelidado por uma mulher de Lentinho já merece um prêmio, mas esse cidadão realmente merece uma condecoração por ser o maior bundão da galáxia. Ou por ser o maior indeciso, tem essa também. O menino conversa comigo por algo em torno de 6 meses, ele já me chamou pra sair inúmeras vezes (e cancelou todas), já esteve na mesma festa que eu (e sumiu) e daí você pensa “não quer nada comigo”, mas não, porque, por algum motivo que só o demônio pode explicar, ELE CONTINUA VINDO PUXAR ASSUNTO! Sério, eu já desisti de entender esse brother.

Não que eu esteja me descabelando por nenhum deles, pelo contrário, mas cansa né?!

Protesto por um mundo com menos “tô com saudades” e mais “desce que eu to passando”! #vemprarua #nãoépelos20centavos

Sobre amizades virtuais e amores não correspondidos

9717263801_da1287fe9e_o

Ultimamente eu tenho me sentido um Tamagotchi (pra você que não sabe esse é o nome do antigo bichinho virtual) e isso vem acontecendo graças a um cidadão, que anda me cozinhando em banho-maria  falando comigo por Whatsapp FAZ 2 MESES. E não estou falando de coisa pouca, a novela das conversas tinha direito a mensagem de voz, foto e bom dia, chupa essa manga Brasil! 

Mas então você, amiga solteira, me pergunta: “Mas qual é o problema nisso?”.

E eu te respondo: Nenhum, caso essa não fosse a ÚNICA INTERAÇÃO QUE EU TINHA COM O INDIVÍDUO.

Isso mesmo, nada de dates, nada de Skype dates, nada de encontros casuais em baladas, nada de cafés, ou sorvetes, ou um mero “passo ai pra te dar um oi”. Nada. Nunca vi o cidadão ao vivo.

É claro que eu não tinha a intenção manter essa situação por tanto tempo, mas o menino é realmente profissional no banho-maria. Ele mantém a coisa toda com um ar casual, tipo “não temos nada”, e ao mesmo tempo faz com que você se sinta na confortável para contar detalhes da sua vida pra esse total estranho, como se ele fosse seu BF de anos.

A situação toda tinha uma mensagem em neon piscando: “É cilada Bino!” Você consegue ver isso, não é?! Minhas amigas conseguem ver isso e até meu cachorro conseguiria ver isso, mas eu… Veja bem, eu não consegui.

Enfim, um belo dia acho que Deus, que tava vendo toda essa zoeira ai, ficou com pena de mim e resolveu cruzar nossos destinos em uma festa. Eu já tinha resolvido fazer a linda e esperar ele me mandar à mensagem, então fiquei no aguardo até que o fofo manda:

– Cheguei!

Eu dei aquela enrolada básica e respondi:

– Eu tbmm!

Ai você pensa, pronto! Vai ser agora, ele vai vir me encontrar e vamos finalmente nos conhecer, score! Só que não, a resposta chega e nela está escrito:

– Yeaahhh

Oi? Alguém pode me explicar o que quer dizer isso? Yeah é o novo “vamos nos encontrar agora” e eu não estou sabendo, é isso? #confusa. Na dúvida eu não respondi nada, porque, afinal de contas, não estou com saúde pra correr atrás de marmanjo e esperei que ele mandasse alguma mensagem que fizesse sentido. Eis que dali a um pouco:

– Onde vc ta?

Pronto! Soltei fogos, achei meu marido, era o meu momento #sqn. Falei onde eu estava e o menino… Nada, a novela continuou assim por mais umas horas e naquele momento eu já estava possuída pelo ritmo ragatanga. Encontrar esse infeliz já tinha se tornado uma questão de honra, nem que fosse só pra sentar a mão na cara dele pela falta de atitude.

E como o meu santo é fortíssimo, eu achei e fui falar com ele. Óbvio que eu fiz a linda e fingi que nem tinha notado o quão MOLE ele foi, porque é isso que as mocinhas espertas fazem quando querem pegar um cara. Conversamos, dançamos, cantamos, apresentamos os amigos e… e? Chuta o que aconteceu? MISTER M.

O menino desapareceu feito fumaça. #decepção

Ok, tomei um fora, pensei eu, já tinha tomado outros foras antes, eu sabia como era e já estava vacinada contra isso. Então peguei minha dignidade e bebi toda a decepção em grandes goles de vodka. Claro, não me lembro de meia festa, mas deve ter resolvido o problema já que no dia seguinte eu acordei feliz e conformada com o fato de que tinha perdido um boy magia, ué paciência né?! Só que aparentemente o boy, além de magia, também é bipolar e quando olhei o meu celular lá estava… Uma mensagem dele.

Desde então ele continua falando comigo (todo dia) como se nada tivesse acontecido, como se nós nunca tivéssemos nos conhecido e aí eu te pergunto: QUAL É A DESSE DEMÔNIO? ALGUÉM ME EXPLICA? O pior é que agora que eu já estou enrolada até o pescoço nessa história, fica complicado simplesmente parar de responder o cara e pronto, não sei o que fazer.

Sinceramente eu não sei o que anda acontecendo com os homens desse mundo, mas enquanto esse enrola, eu chamo os outros pra sair. Afinal, candidato é o que não falta.

PS: Estou aceitando teorias, então caso você tenha alguma ideia do que está acontecendo aqui, por favor, me ilumine com a sua sabedoria.