Ela não é tímida, o nome disso é chatice.

hateyoutoo

E viva o carnaval, viva o glitter, viva essas duas horas que eu arrumei no meio do dia pra escrever esse post maravilhoso, viva a blogueira mais chulé desse Brasil: Eu!

Estava eu no carnaval numa viagem de grupo. Todos sabem que viagens de grupo são complicadas por motivos de: as pessoas são diferentes e cada um tem uma ideia diferente de diversão. Mas essa estava um pouco mais desafiadora, visto que tínhamos gringos no meio do grupo, ou seja, além da coisa das características pessoais a gente também tinha que lidar com as diferenças culturais de cada um dos nossos coleguinhas e eu não sou assim a pessoa mais paciente do mundo, então digamos que no segundo dia eu já estava querendo fugir pras montanhas.

No meio desses queridos tínhamos uma menina, ela era namorada de um dos caras e se você fosse apresentada pra ela pensaria a mesma coisa que eu: Que fofa!

Ela era pequena, falava pouco e parecia concordar com tudo. Todos falavam razoavelmente bem dela, perceba, razoavelmente, ninguém parecia conhecer ela a fundo mesmo ela sendo namorada de longa data de um dos melhores amigos do dono da casa, mas ainda assim ninguém reclamou da menina também, então eu, com todo o meu otimismo, concordei quando me disseram: “É que ela é tímida, muito tímida”.

Mas não foram necessárias nem 24 horas pra perceber que de tímida ali não tinha nem o branquinho do olho #peganafalsidade. Todo mundo no bloquinho, curtindo a valer, não deu nem 15 minutos os dois somem. Se fosse qualquer outro casal você pensaria, “ok, foram transar, viva o carnaval!”, mas o caso é que eles não foram, eles saíram do bloquinho porque a fofa não gosta.

“Mas não gosta do que?” perguntei eu pra ela, porque afinal de contas, você está no fucking Rio de Janeiro.

“Das pessoas suadas me encostando, muita gente junta, do calor…”

Porque claro que é por isso que as pessoas vão ao bloquinho não é mesmo?! Quem é que não gosta de ser besuntada por fluídos de desconhecidos num calor de 40 graus enquanto é empurrada rua abaixo? Eu amo! Você não?!

Não tem nada a ver com a música super legal, a bateria que faz a gente vibrar, os amigos bêbados todos dançando juntos no meio da rua enquanto a gente usa aquelas roupas que sempre quis usar, mas nunca pode porque as regras sociais não permitem. Quem foi o louco que pensou isso?

Nota: Se você quer um carnaval frio e com pouca gente a Antártida tá aí pra isso, vai lá diferentona.

E então começou a saga, todos vão comer pizza, menos eles, porque ela está cansada de pizza, todos vão pra pixxta na balada, menos eles, porque ela disse que está muito calor lá, todos vão isso, todos vão aquilo, menos o casal 20, diferentão, pinguim do ponto frio, descobridor do Brasil, Telecine Cult. É claro que em NENHUMA dessas situações se ouviu a voz da garota dizendo “eu não quero” ela apenas comunicava ao banana namorado, que depois informava o resto do grupo.

Mas até ai ok, ela não estava me incomodando, eis que, um belo dia, chego eu em casa pra tomar banho e sou informada que a minha cama foi passada para o casal, porque a fofa estava com dor nas costas de dormir no colchão de ar. Mano. Do. Céu. Eu não teria ligado se tivessem me colocado pra dormir na sacada se fosse necessário, mas o caso é que só porque a minha cama era melhor a pequena notável tinha que ir lá cobiçar. É de cair o cu da bunda né. É claro que em nenhum momento ELA veio falar comigo, afinal de contas porque ela faria isso não é mesmo?! Só porque ela estava me tirando da minha cama?! Bobagem!

E o pior de tudo, durante todo esse tempo, as outras pessoas da casa (em sua maioria homens) continuaram achando que ela era “apenas tímida”. A fala sério galera, vai ser chata a assim lá na sua terra, eu prefiro ser maloqueira e curtir a vida sem frescura, do que ser esse bibelô dos infernos.

Anúncios

Cadê o bom senso?

Screenshot001

I know, I know, eu ando meio sumida, mas a culpa não é minha, é da vida, culpem a vida. A vida e a falta de bom senso, eu não sei o que anda acontecendo com o mundo, mas alguma coisa claramente anda acontecendo porque não é possível!

Vamos começar com o meu professor. Eu tenho um professor, uma vez por semana ele me dá uma aula à noite que toma 4 horas do meu dia. Esse mesmo professor tem ciência que em outros 3 dias da semana eu, e todos os outros alunos da sala, temos 3 outras aulas diferentes, todas também com 4 horas e que 90% da classe tem empregos, de 8 horas diárias no mínimo porque temos contas pra pagar. Além disso, nós ainda comemos, dormimos e moramos em São Paulo, o que nos faz gastar 1 hora e meia em trajetos de 15 minutos. Mesmo sabendo de tudo isso este ser humano escolheu mandar três entregas de trabalhos semanais SÓ para a aula dele. Agora fala pra mim, onde está o bom senso? Porque sinceramente não é uma questão de preguiça, é uma questão de “O dia tem só tem 24 horas meu querido, nem tudo é sobre você”.

Mas então estávamos na balada e chega um cidadão falando DENTRO do ouvido da minha amiga – saudades espaço pessoal – e ele diz:

– Blá,blá,blá.. é que eu não sou de São Paulo… 

Migo isso está claro, pelos seus modos deve ter vindo de um buraco na selva ALOW MOGLI!

Mas é claro que a minha amiga, que é uma pessoa fina, apenas deu um passo a frente para se distanciar do Menino Lobo. Após repetir esse procedimento pela terceira vez sem sucesso, eu resolvi intervir porque eu não tenho noção do perigo e não consigo assistir homem sendo escroto sem fazer nada. Então com toda a minha assertividade eu disse “Some, ela não quer nada com você” e ainda fiz um Xô com a mãozinha. Lembrando que eu tenho 1,59m então essa sou eu arrumando a encrenca:

Hurley

Eis que vira o menino:

– Peraí, comigo não funciona assim, ou você vai ser educada e eu vou embora…

E eu interrompo…

– OU EU CHAMO O SEGURANÇA E VOCÊ SAI A FORÇA

Então sim meus queridos, ele preferiu que eu chamasse o segurança, que teve que pedir “gentilmente” que ele ficasse longe ou teria que “se retirar” do estabelecimento. E ele pagou esse mico desssssssnecessário e ainda teve que aquentar a minha cara de Eu Te Avisei. Agora me fala, precisava? Cadê o bom senso gente?

Também tivemos falta de bom senso nos meios de transporte, começando pela galera que curte fazer protesto nos horários de pico NA PUTAQUEOPARIU DA SEXTA FEIRA só pra fechar a paulista e causar com a vida de quem só quer chegar em casa. Só te digo uma coisa, pode ser protesto pra ter Feriado do Bacon que eu não vou apoiar. Apoio apagar o sol, mas não apoio causa de quem fecha a paulista na sexta. Serião gente, faz na segunda que já é um dia merda. Mas não estou aqui pra dar ibope pra tumulto, estou aqui pra falar da menina que me fechou no transito. Estava eu bonitinha na minha faixa, no maior transito monstro, eis que uma linda simplesmente imbica o carro na minha faixa, sem dar seta, sem por a mãozinha pra fora, sem pedir “por favor”, sem me esperar passar, sem ter educação, sem nada. Oi? Depois se eu levo o seu retrovisor você reclama.

E para terminar o boy que demorou 6 mensagens ignoradas pra entender que a minha amiga não ia responder. Seis. Em dias diferentes. Sendo que 4 eram emojis e a última dizia “Bye- Bye”. Oi? Bye- bye que quem? Ela não deu nem oi. Eu fico pensando o que passou na cabeça desse rapaz. Uma das do meio era “Ta difícil a comunição”, meu querido, você está mandando mensagem para um aparelho que fica grudado na menina 24 horas por dia e te avisa que a mensagem foi enviada, a única dificuldade que tem aqui é a sua de compreensão. Não ter uma resposta também é uma resposta. 

É claro que muitas outras coisas aconteceram pra eu me revoltar com essa sociedade horrorosa, mas por enquanto é isso. Agora você que está lendo, pensa na sua vida, pensa se você também não está faltando com essa coisa invisível que só os inteligentes enxergam chamada bom senso, porque ninguém gosta de conviver com gente escrota. É sério. 

TIMganaram

audrey

Capítulo Um: O Cliente Esperançoso

– Oi Moça, estou ligando porque há algum tempo atrás eu falei com vocês pra cancelar uma conta de internet e pedi para que vocês mandassem as contas ainda em aberto para o meu endereço, mas até agora não chegou.

– Senhora, as contas foram enviadas no dia xx/xx. A conta y está em atraso.

– Pois é, mas até agora elas não chegaram, por isso ela está em atraso, como você pode ver aí, as contas anteriores a essa estão todas pagas, porque elas CHEGARAM na minha casa.

Atendente ativa o mode: Isso Não é Problema Meu

– Ok senhora, estou pedindo o reenvio dessas contas, mas caso alguma outra conta TIM não chegue, você precisa anotar o dia de vencimento e ligar pedindo o reenvio.

Porque como todos sabem, a obrigação de qualquer cliente é cobrar as contas da operadora não é mesmo?!

– É que como eu tenho outros problemas pra me preocupar, normalmente eu espero as contas chegarem na minha casa, mas enfim, aproveitando que eu já estou aqui, você pode verificar se a conta que eu cancelei está realmente cancelada, assim, só pra ter certeza porque eu já cancelei isso duas vezes.

– Só um momentinho Senhora…

15 minutos silenciosos e a linha cai. QUEM NOONNNCA, LEVANTA A MÃO!

Capítulo Dois: Uma Nova Atendente

– Oi Moça, eu estou ligando, agora mal humorada, porque quando eu liguei bem humorada uma engraçadinha de uma atendente de vocês me deixou na linha por 15 minutos NO SILÊNCIO e derrubou a ligação. Será que você poderia me atender sem me deixar no silêncio e sem derrubar a ligação?

– Claro Senhora, em que posso ajuda-la?

Nossa que moça altiva, essa vai resolver meu problema” – pensei eu, com esperança no coração.

– …blá, blá, blá…blá, blá, blá… Minhas contas não chegaram e eu quero verificar se está tudo cancelado e ok.

– Senhora, vou reenviar essas contas. Você deseja que eu mande o código de barras por SMS também

Meu Deus, quanta eficiência, vou mandar uma recomendação pra essa mulher, prêmio Atendente do Ano.

– Sim, por favor.

– Agora só um momentinho que eu vou verificar o status da outra conta…

Nesse momento eu já estava quase feliz, tinha sido bem atendida, a mulher parecia ter resolvido o problema, nada poderia dar errado daqui pra frente, né?! NÉÉ????

– Senhora, a conta que havia sido cancelada foi reativada.

Reativada.

R E A T I V A D A. 

R – E – A – T – I – V – A – D – A.

– MOÇA, MAS FOI REATIVADA POR QUEM, PELO ESPÍRITO SANTO????? PORQUE EU NÃO REATIVEI NADA.

– Senhora, isso eu não sei, Senhora.

– Mas meu Deus, se você no sabe então quem vai saber a Mãe Dinah? Pelo amor gente, isso custa dinheiro, eu já cancelei esta merda duas vezes, qual o problema de vocês????

– Senhora, o setor de cancelamento está fora do ar no momento então eu vou pedir para a senhora ligar daqui a umas duas horas para podermos efetuar o cancelamento novamente.

COMO -É – QUE – É?????? O setor de cancelamento, claro, porque o de abertura de contas deve estar funcionando na maior alegria.

– Mas moça, como a conta pode ter sido reativada se eu NÃO reativei, aliás, eu venho ligando periodicamente para CANCELAR, faz 6 meses que eu tento cancelar isso, não é possível!!

– Senhora, eu peço que você ligue daqui duas horas para podermos efetuar o cancelamento.

– Ok Moça, olha, eu sei que a culpa não é sua, mas isso é um absurdo e como eu sei que alguém vai ouvir esta ligação eu estou avisando que estou entrando no PROCON e onde mais eu puder. Daqui duas horas eu ligo para cancelar a conta NOVAMENTE.

Capítulo Três: Pegadinha do Malandro

– Oi Moça, como você chama?

– Rosa.

– Oi Rosa, estou com um problema sério aqui… blá, blá, blá…blá, blá, blá… Whiskas Sache… E estou ligando pra cancelar essa conta pela décima vez.

– Senhora, só um momentinho, Senhora.

– Ok.

20 minutos depois…

– Senhora, essa conta consta como cancelada aqui no meu sistema.

Sim Brasil, eu passei por todo esse inferno pra nada. Obrigada TIM, por essa tarde feliz.

TIMganei.

Menino do Rio

Captura de Tela 2015-02-19 às 01.21.18

Era uma vez um carnaval bagunça.

Eu estava sem paciência pro amor, mas o carnaval está e sempre esteve aí pra me provar que eu não sou ninguém na fila do pão e que quem manda aqui mesmo é o universo.

* Tá me fudendo aqui hein universo, te contar uma história…

Mas enfim, estávamos todas curtindo esse carnaval maravilindo quando de repente, minha amiga ativa um contato do Tinder e combina uma saída. Até aí tudo muito lindo, íamos pra uma baladinha indie no Rio, com cariocas indies, classificando aquele como o melhor lugar do mundo.

Gostaria de confessar aqui que eu tenho uma queda por cariocas, uma queda bem grande, aliás. Você não imagina o quão sinistro o mundo pode ficar com um X bem colocado. Sinixtro. Aqueles moços com aquela fala mole, que fazem qualquer paulista perder a pressa. Incrível.

Mas enfim, estava eu completamente desavisada, diva na night, quando fui atropelada por um trem bala chamado: O moço que não me deu moral. Porque como vocês já devem saber, eu adoro essa novela. E aí que o amigo dele estava pegando a minha amiga e decidiu resolver essa parada, fomos propositalmente deixados sozinhos (sutileza, a gente vê por aqui), mas nem só de planos bem intencionados sobrevive o amor, então passamos 4 fucking horas conversando e ele não me pegou.

Bem- vindo ao Essa é a Minha Vida.

No dia seguinte rolou uma informação que o moço, apesar de ter me adorado, era gay. Rolou uma tristeza? Sim. Mas é carnaval gente, um dia a gente ganha no outro a gente perde e, naquela noite, eu tinha perdido. Continuei meus planos de carnaval, sendo linda e não pegando ninguém no bloco, simplesmente porque eu não estou pra brincadeira ultimamente, até que, numa segunda feira de carnaval, eu recebo uma solicitação de amizade inesperada. Agora, chuta de quem foi? Sim Brasél lá estava ele e não satisfeito ainda veio puxar assunto!!!

Pra uma pessoa com um histórico como o meu, isso é quase uma daquelas cenas de comédia romântica quando o cara aparece no aeroporto no último segundo só pra pedir pra mocinha ficar. Já estava organizando a papelada do casamento.

É claro que ainda restava a dúvida: “Ele não era gay?”

Mas isso são detalhes gente, não da pra ficar se pegando nessas pequenas coisas, ninguém é perfeito né?! Então chamei o menino pra ir com a gente pra baladinha e rezei para o melhor.

No fim das contas ele não era gay e assim começa o meu romance de carnaval, que durou mais especificamente 2 dias. Quase uma vida. Ele me chamava de apelidos carinhosos, foi na balada só por minha causa, voltei pra SP chateada, já pensando quando eu ia voltar pra lá, que o destino tinha sido muito cruel em ter nos colocado em cidades diferentes. Cheguei aqui, mandei mensagem e ele me respondeu com “N”. Morri.

Entenda, eu não ia ligar se ele tivesse abreviado “paralelepípedo” a minha úlcera mental se deve ao fato que, a pessoa que ontem estava me chamando de amor, hoje não se deu nem ao trabalho de escrever corretamente uma palavra que tem 3 letras. É sério isso? A única explicação plausível pra isso é “puts é que caiu meu dedo aqui, aí não consegui digitar”, mas ainda assim, função áudio está aí pra isso, não precisa nem gastar o dedo.

E agora aqui estou, digerindo esse OOOOLÉ que a vida me deu. Sem entender nada, mas com a certeza de que esse barco já partiu e foi dar a volta ao mundo com a família Schürmann. #voltabarco #voltacarnaval

Agora se você aí também está se recuperando de uma rasteira romance de carnaval, não liga não nega, o mundo está cheio de gente, a sua hora vai chegar.

Era uma vez um cafajeste.

33873_151117248256990_1506405_n

Fui no mercado e pedi bom senso, eles não tinham, então comprei vodka.

A mais ou menos um mês atrás minha amiga me apresentou um amigo. Tudo começou bem, já tinha combinado com ela de sair, estava blaster animada pois no dia anterior tinha pego o inglês mais gato do planeta na vila madá #habemuscopa #europeuvaledoispontos, quando ela me avisa que um amigo dela vai vir buscar a gente, até ai zero problemas né, ia gastar menos de taxi. Eis que chega o cidadão, mais conhecido como problema, mais conhecido como cafajeste, mais conhecido como moreno, alto, bonito e sensual. Não estava preparada pra isso.

É sério isso gente, qual é a chance de uma amiga sua dizer que vai levar um amigo e o cara ser bonito? Eu não sei vocês, mas, até esse nego aparecer, isso nunca tinha me acontecido antes, é sempre “amiga você vai amar, ele parece o Ryan Gosling” e quando você vai ver o cara é um anão japonês que fala “tlinta e tlês”.

Mas ok, respirei fundo e entrei no carro afinal de contas, eu já estive na presença de outros caras gatos antes e sempre existe a chance de ele ser um completo idiota, o que anula qualquer boa impressão causada pela beleza. Não foi o caso, só pra constar.

Chegamos na balada, uma fila que ia daqui até Presidente Prudente, eu e minha amiga resolvemos ir comprar alguma coisa pra beber ali perto, os meninos ficaram na fila. Resolvi saber logo o briefing do menino, pra ver onde é que eu ia amarrar meu bode:

– Amiga, esse seu amigo é consideravelmente bonito né?!

– Sim, ele é.

– Mas vale menos que um tufo de cabelo né?!

-É, ele não vale nada, pegou uma amiga outro dia e depois sumiu, ela não ficou muito feliz.

Já resolvida que eu não ia me sabotar e colocar outro encosto na minha vida, voltei pra fila com o foda-se ligado. Entramos na balada, meninos para um lado meninas para o outro, resolvi que ia curtir e achar um bofe que não tivesse um “cachorrão” written all over it mass nesse meio tempo minha amiga, que estava falando com um peguete no whats, resolveu fazer um “after” com ele e pediu para o bofe ir busca-la na balada. E eu… e eu??

Eu fui acolhida pelos amigos dela, que muito gentilmente insistiram para que eu ficasse, dentre eles estando o grande problema da noite, o amigo gato. Sabe, eu acho que se ele fosse loiro eu não teria tantos problemas, é que a coisa do moreno realmente pega muito forte. Enfim, conversa pra cá, conversa pra lá, o menino chegou em mim, assim meio tímido, meio que uma sugestão, acho que ele já estava sentindo que eu não seria uma presa fácil…Naquela noite, claro, porque normalmente eu seria a melhor presa ever, aliás, desconfio que se ele tivesse esperado eu tomar mais duas doses de seja lá qual fosse o destilado da noite, eu mesma ia ter tomado a iniciativa. Mas não foi isso que aconteceu, eu ainda estava razoavelmente sóbria e disse que não, porque eu ainda sei o que é melhor pra mim. Mesmo assim o moço me alimentou com café e risadas, me deu carona até em casa e abriu a porta do carro pra mim.

Delicadeza, a gente ainda vê por aqui.

Semanas se passaram, combinei com uma amiga de ir pra uma festa de máscaras (muito amor pelo cara que teve essa idéia), amiga essa que, por acaso ou não, foi a mesma que me apresentou o Garoto Problema ali de cima e já que estava no clima de convidar, aproveitei e convidei ele também #ousadiaealegria. Ambos aceitaram, nos encontramos na festinha, minha amiga passou mal e foi pra casa, agora, adivinha quem sobrou? Sim Brasééll, eu e o moço. E nós dois. E uma festa cheia de desconhecidos.

Desfilou comigo a festa toda, até rolou umas quengas tentando pegar o bofe  distrações, mas no fim das contas ninguém pegou ninguém, nem eu, nem ele, nem eu e ele. Mas rolou conversa e risadas, empréstimo de cachecol e carona pra casa. O que já é muito, em comparação com os homens que eu ando conhecendo. Nesse momento acreditem, minha força de vontade estava trabalhando nonstop pra continuar me lembrando que APESAR de tudo, ele ainda era o cara que não valia um real. E digo isso não mais porque a minha amiga me contou, não, porque depois que comecei a conhecer o rapaz ele mesmo me contou isso, com histórias e exemplos pra ilustrar. Pois é meninas, estudos apontam que tá foda.

Bom, continuando, resolvi fazer um get together aqui em casa esse final de semana, chamei TODOS os meus amigos, todos miaram menos um, adivinhem só quem foi???? Sim, o próprio.

Eu estou começando a acreditar que Deus, ou seja lá qual é a entidade maior que rege o universo, está tentando, com muito afinco, me deixar sozinha com este rapaz. PORQUE NÃO É POSSÍVEL! Ou isso ou aquela história toda de mentalização está começando a funcionar muito sério, estou pensando em fazer o teste essa semana, jogando na loteria.

Enfim, Garoto Problema veio, trouxe um amigo legal, conversamos, bebemos e resolvemos ir para um aniversário de um amigo dele, que estava acontecendo na portaria do inferno aparentemente, já que eu nunca vi tanta gente feia junta na vida. Com exceção dos amigos, já que alguns eram até bem apresentáveis. Mas novamente nada aconteceu, resolvemos ir embora, porque o amigo dele estava concordando comigo na coisa do inferno, só que ele queria ir pra casa e eu queria ir pra gandaia. Então tivemos uma idéia brilhante “vamos levar meu amigo pra casa e depois a gente vê o que faz”, ótimo né?! Todo mundo fica feliz, todo mundo ganha o que quer, certo? Errado.

Gente, conselho pra vida: Se você estiver fazendo um esforço consciente pra não pegar um cara, seja porque você sabe que ele não presta, seja porque ele é ex da sua amiga, ou qualquer outro motivo que te faça acreditar que aquilo vai dar merda, NÃO- FIQUE- SOZINHA- COM- ELE. Obrigada. De nada.

Claro que no longo caminho até a casa do amigo rolaram várias outras idéias brilhantes do tipo:

Amigo: Dorme na minha casa, amanhã eu te levo.

Amigo: Vamos todos dormir na minha casa.

Problema: Dorme na minha casa, você pode ficar no quarto de hóspedes, amanhã te levo.

E é mais do que óbvio que eu não aceitei nenhuma dessas propostas, porque isso aqui não é a casa da sogra, mas então surgiu uma proposta que me pareceu até aceitável (bêbado é uma desgraça), assistir filme na minha casa não era tão ruim, afinal de contas, porque não?! Já era tarde, ou cedo, dependendo do ponto de vista, as baladas já estavam fechando, não tinha mais muitas opções e no fim, a casa é minha, eu faço as regras, nada ia acontecer…né?!

Posso garantir uma coisa pra vocês, se eu tivesse a mesma força de vontade que eu tive com este moleque no meu regime, eu estaria com o corpo de uma Angel da Victoria’s Secret, porque nada aconteceu mesmo. Ele veio aqui, colocamos um filminho, deitamos no sofá de conchinha (porque, é o que eu queria saber) e nada aconteceu, porque eu não quis. Isso sim é uma teimosia sem tamanho. É claro que me arrependi assim que ele saiu pela porta, ás 9 da manhã, mas tudo bem porque o arrependimento passou assim que ele foi seco comigo no whatsapp mais tarde naquele dia. Porque mulher é assim, pode ter acertado 1000 vezes, se cagou uma, É DISSO QUE A GENTE VAI LEMBRAR.

Enfim, agora eu estou em um dilema (lembrando que o dilema é só meu, visto que o cidadão está cagando E andando para a minha pessoa), não sei se eu ligo o foda-se de uma vez e mando o boy pra escanteio, já que homem é uma coisa que não falta nesse mundo, ou se eu mantenho a amizade, ou se eu deixo rolar, ou se eu compro uma bicicleta, ou se eu caso,…

Tô sabendo porra nenhuma, mas essa história está acumulando muito drama e como eu sou péssima em lidar com drama eu acho que vou dar um tempo pra tudo isso esfriar e arrumar uns bofes novos.

Como diria Banks:

“Cause I’m a goddess, you never got this.”

Se não for leve, que o vento leve.

Captura de Tela 2014-06-14 às 21.34.11

Acabei de tomar um pé na bunda.

TA- DAAÁ!!

Por Whatsapp.

TA- DAAÁ!!

Bem vindo ao Essa É Minha Vida. #risos

Conheci o menino, já estava pegandinho ele a mais de mês, ele era um fofo, mandava mensagem, deu parabéns no aniversário, curtia geral as fotos no insta, cheio de dengo pro meu lado, chamou pra sair (só chamou tá gente?!), me ligou (que tipo de pessoa não apaixonada faz isso em 2014?), casou comigo uma festa inteira, IA NA MISSA DE DOMINGO (!!!!!), você pensa que uma pessoa dessa deve ser de bem né?! TEMQUE ser de bem! Mas, os padres pedófilos estão ai pra provar que não é só de santo que vive a igreja, e seguindo esse exemplo está…

Rufem os tambores…

MEU BOFE!

Vou contar uma história pra vocês, que começou quarta passada, quando eu estava conversando com o indivíduo e comentei que eu IA nesta festa. Perceba, eu não disse “acho”, eu não disse “talvez” e com certeza eu não disse “existe a possibilidade”, agora me diga você, caro leitor, qual outra interpretação uma pessoa pode ter da frase “Eu vou na festa” que não seja a que o eu, que no caso se refere a mim, vai na porra festa? Nenhuma.

Ok, guardem esta parte da história que é importante.

É claro que depois de quarta ele fez o Mister M e sumiu, porque estava muito ocupado pegando outras trabalhando muito, mas, como eu já sou vacinada, achei de bom tom dar um alô pro moleque, nada muito sério, algo nas linhas de “Oi! To viva ta?!”, e pensando assim mandei um Whats perguntando da festa. Às 10 da noite. Agora me fala, vocês receberam a resposta?

Nem eu.

E nem preciso entrar no mérito do “eu sei que ele viu porque o Whatsapp é dedo duro”, porque já conversamos sobre isso aqui e eu não quero ser repetitiva.

Bom, ok né?! Geral feliz, geral na festa se divertindo, eu já tinha visto o cidadão, ele também já tinha notado a minha presença, visto que, ele não é cego e eu tenho o dom de me fazer ser notada, mas estava na minha, esperando ele fazer as vezes de cavalheiro e vir me cumprimentar. Tudo estava indo bem, quando de repente visualizo o limmmdoo enfiando a língua na garganta de uma quenga, obviamente que nesse momento fui possuída pelo ritmo ragatanga, mas, sendo a dama que sou, lidei com a situação da maneira mais adulta possível.

Bebendo sozinha o open bar inteiro da festa e contando a história pra todas as mulheres do banheiro, óbvio. A inteligência emocional mandou um grande beijo.

E aí que 18 copos de vodka depois, momento esse que eu já tinha perdido a classe, a noção, a paciência e um brinco, eu fui falar com ele, porque eu não sou tuas nega, e o menino vira e me diz “Puts, nem tinha te visto” e eu respondo “Eu te vi… pegando outra menina” #fofa. Dai começou aquela série de explicações, porque “eu não sabia que vc estaria aqui” (oi? #perdadememória) e blábláblá… Enfim, deu aquela enrolada. Eu sorri, virei as costas e sai rebolando. Eis que, eu não tinha nem chegado até o andar de cima o menino vem correndo, pega no meu braço e pergunta “Você tá bem?”.

Nesse momento eu fiquei na dúvida entre fazer a Nazaré Tedesco e jogar o cara escada abaixo ou só responder, mas decidi apostar na segunda opção e respondi, sorrindo claro, “Obvio que não! Já bebi o bar inteiro pra ver se eu esqueço o que eu vi lá em baixo” só faltou o seu idiota no fim, mas essa parte eu guardei pra mim. E então minha amiga, que é a melhor amiga que existe nessa terra, teve o tato de me puxar e dizer pra ele, desculpa, mas você não vai falar com ela agora porque ela está bêbada, amanhã, se ela quiser vocês conversam. Depois disso eu bebi mais um pouco e fui levada pra casa, porque já não tinha mais condições de eu ficar lá.

Acordo no dia seguinte com a ressaca do milênio, pego o celular e encontro um segundo testamento inteiro, mandado pelo bofe no meu Whats. A mensagem, além de discutir o sexo dos anjos, os conflitos entre Israel e a Palestina e se quem nasceu primeiro foi o ovo ou a galinha, falava basicamente que ele gosta de mim e que em outros tempos eu seria a menina ideal, porém, já passou por muitas desilusões amorosas (só ele viu?!) e nesse momento não está a fim de se envolver com ninguém, que gosta também de outras meninas e está saindo com todas sem a menor intenção de ter alguma coisa séria. Ou seja: Está tocando o puteiro mesmo. E que ele entende que eu não vou aceitar isso, mas que agora, apesar de gostar de mim (me ama, da pra perceber no brilho dos olhos né?!), ele não tem a intenção de me colocar como a única. Em grosseiras palavras: Estou te dando um pé na bunda, um beijo carinhoso.

Se doeu? Claro que sim! Se eu chorei? Rios de lágrimas! Se ele sabe disso? Óbvio que não. Fui pra casa da minha amiga e contei toda a novela, já estava pronta pra não responder nada, eis que, vira o namorado dela e diz “Responde sim, diz pra ele, thanks for the update (o namo dela é meio gringo)” e foi exatamente isso que eu fiz, bem em baixo do pergaminho que ele me mandou eu escrevi:

haha tks for the update

tá tranquilo

bjs

Atente para a risada no começo, já que, como vocês já devem ter notado, bom humor é indispensável pra mim.

Agora antes que me crucifiquem aqui, vamos esclarecer: Racionalmente eu sei que o menino não fez por mal, porém, nesses momentos as pessoas não costumam ser muito racionais e eu sou uma pessoa, então tenho esse direito.

E agora como se esse post já não estivesse grande o suficiente eu vou contar outra história, um: porque eu achei essa história muito legal e dois: porque eu estou a tempos sem escrever então acho que vocês ainda estão com paciência pra ler.

Uma amiga foi pra um show quinta passada na abertura da copa e um cara que ela tinha saído no domingo anterior, pra ir ao cinema #casalzinho estava lá, acontece que o cara é um grude só e ela estava morrendo de medo que o cara ficasse grudado nela. Só que, em dado momento, ela viu o cara com outra e, não satisfeita, ela mandou uma mensagem pra ele dizendo:

você ta namorandinho?

eu tbm

E ai ela ficou com outro cara que ela sempre fica e pagou esse mico desnecessário, porém, insanamente divertido, fazendo o meu dia de hoje ficar menos cinza. Obrigada por isso.

E agora eu termino esse post com um ensinamento do Dalai Lama, não pera, é da Dori mesmo, sempre confundo os dois (to muito engraçada hoje #SQN).

A Vaca da Ex

Captura de Tela 2014-05-13 às 00.13.05

A vaca da ex é aquela quenga que costumava pegar o seu bofe antes de você, aquela que terminou com ele 5 meses atrás porque “estava confusa”, deixando o menino no limbo dos relacionamentos, mas agora -que ele está saindo com você- resolveu curtir TODAS as fotos dele. Dando um like no seu chifre.

Você conhece ela. É aquela que depois de descobrir que ele te apresentou para os pais, resolveu mandar uma mensagem de saudades, lembra?! Ou como aquela outra vez, ela, que ignorou todas as 180980979879 mensagens que ele mandou após o término, mas agora quer sair pra conversar. Lembrou agora né?!

Se não lembrou vou dar uma última dica, é aquela que mandou uma mensagem pra ele sábado a noite, quando ela SABIA que ele ia estar com você. Essa, minha amiga, é a Vaca da Ex.

Eu acho que as ex-namoradas tem um alarme, que toca assim que o bofe arruma um caso novo, um que ele goste é claro, que tenha futuro, mais precisamente quando esse caso é você (que é pra foder com a sua vida amorosa).

E o pior de tudo é que o bofe ainda cai nessa, todo mundo lá gritando pra ele “É cilada Bino!”, mas o ele acha que não, que a piranha é uma boa pessoa, que ela não está tentando envenenar o novo relacionamento dele, ela só precisa de alguém pra conversar. Esse alguém sendo o seu macho, que oportuno não?!

Da vontade de pegar umas velas e fazer uma macumba pra esse encosto o contato dela e responder:

Oi, eu sou a linda de quem você está tentando tomar o bofe, tudo bem com você? Espero que sim! O fulano me disse que você está precisando conversar né?! Tenho o telefone de um terapeuta ótimo, vou pedir pra ele te ligar. Beijãooooo”  

E você não pode nem dar chilique, porque se fizer isso a Louca Insegura é você, afinal de contas “eles tem toda uma história, você não consegue entender isso???”, sinceramente, eu CAGUEI pra sua história com ela, a sua história agora é comigo e a vaca da sua ex não faz parte dela, estamos entendidos?

Agora, não me venha com essa de “mas ela é minha amiga agora”, porque eu também tenho amigos (e ex-namorados), portanto, eu entendo perfeitamente a diferença entre uma mulher sendo sua amiga e uma mulher sentando no seu colo.

Mas antes que venha algum babaca aqui dizer “mas você não se garante?”, eu gostaria de dizer que, o dia que eu precisar “me garantir” pra estar com alguém é porque a pessoa não tem certeza se quer estar comigo e, sendo assim, é melhor mesmo que volte para a ex.

Porque eu não corro atrás de homem que não sabe o que quer.