Preguiça de homem? Temos.

 

zoey

A culpa não é minha, a culpa não é deles. Talvez a culpa seja dos cachorros, que são infinitamente mais legais que todos os caras que andam me rondando (o que não é muito difícil, cá entre nós) mas, fato é que: temos preguiça.

Boy ta mentindo pra mim. To vendo na cara dele que tá mentindo. Os homens não sabem, mas quando eles mentem, tem um neon luminoso que acende bem no meio da testa deles escrito: Groselha. E é tipo a roupa do rei, só os inteligentes enxergam. Pior ainda é quando você conta que sabe que ele tá mentindo e, ao invés de ele dizer: “Foi mal, caguei, não vai acontecer de novo”. Ele fica tentando mudar o foco da discussão pra qualquer coisa que não seja a mentira dele. Como se o problema fosse você ter descoberto e não ele ter mentido. Preguiça de mentira.

É tipo aquelas pessoas que engordam 10 quilos em um mês, chegam no consultório da nutricionista e falam: “Mas eu só como salada!”

A não ser que na casa dessa pessoa tenha um ninho de pernilongos mutantes que injetam gordura durante a noite, é óbvio que ela não come só salada. E todos nós sabemos disso. Com os homens é a mesma coisa, todo mundo percebe a mentira, os únicos enganados nessa história são eles mesmos. E ainda dão xilique quando a gente fala que não confia. Preguiça de xilique.

Na minha humilde opinião se o cara foi macho o suficiente pra fazer a cagada, ou a escolha (seja ela qual for), ele deve ser macho o suficiente pra bancar as consequências. Acho que mentira é coisa de gente covarde. E esse tipo de gente não tá valendo o meu tempo.

Na moral, o MÍNIMO que o fofo tem que fazer, pra começar a valer a maquiagem importada que eu vou usar pra sair com ele, é ser decente. Se não de boas, prefiro a minha parte em coxinha.

Anúncios

Eventos no face: Um drama real.

5ye189d913_4i6odl9oej_file

Você e o boy estão saindo já faz um mês, status do relacionamento: Indefinido. Ele confirma presença em uma festa e vc…?

“E vc?”

Essa é a pergunta que você se faz. Porque o fato é que á festa é bem legal, na verdade sua amiga já tinha te chamado pra ir com ela e talvez você já tenha até aceitado, mas quando o bofe confirma presença antes de você, começa o drama.

A começar porque ELE NÃO TE CONVIDOU, aliás, não só NÃO TE CONVIDOU, como também nem chegou comentar sobre o evento com você, o que já te faz começar a pensar na possibilidade ele não fazer muita questão da sua presença. E isso não é o pior, nãããaao minha gente, o pior é que se você confirmar presença agora, ele pode achar que você é a louca “stalker”, mas se você não confirmar e aparecer, aí ele vai ter certeza disso! Inclusive, deixa eu te avisar, se você optar pela segunda opção, não só vai ser considerada a louca que segue ele, como também ainda corre o risco de ver ele pegando outra. #compreumlevedois

E nem precisamos comentar sobre os casos em que você vai dar aquela olhadinha, sem compromisso, nos confirmados e encontra:

a) A ex dele

b) A última quenga que ele adicionou

c) Todas as anteriores

Porque aí você já pensa que ele não só não te convidou, como também fez o favor de chamar outra. Isso tira o sono de qualquer mulher.

O que fazer numa situ dessas? Porque, eu não sei vocês, mas eu não sei lidar com isso. Então você vai pedir ajuda pra os universitários e as opiniões se dividem entre: Os que acham que você deve ir e foda-se e os que acham que você deveria mudar a programção e evitar esse mico desnecessário. Porque seus amigos nunca vão entrar em um concenso.

E você fica lá, sem saber pra onde correr. É nessas horas que chega aquela amiga hippie que te diz pra “seguir seu coração” e você decide que a melhor abordagem para este problema seria trazer o assunto, assim como quem não quer nada, na conversa com o boy, de forma muito sutil, claro, para que ele não perceba que você acompanha cada vírgula que ele posta nas redes socias. Mas o problema é que eu não tenho o dom da sutileza, então acabo começando a conversa com: ” Vi que você confirmou presença na festa,…”

Gente, qualquer frase que começa com “Vi que você confirmou/postou/curtiu/etc…” já começou errado. Mas no fim nas contas eu descobri que, quando se trata de eventos,  não existe maneira mais sutil que a sinceridade. Fala. A. Verdade.

“Cara, o Face me contou que você vai numa festa que a minha amiga já tinha me chamado pra ir,  eu ainda não sei se vou, mas a festa parece legal, né?!”

Perceba como agora o problema é dele e não seu. Você já deu o aviso que sabe que ele vai e que talvez você apareça lá também. A partir desse momento, se você chegar lá e ele estiver com outra, você está 100% autorizada a riscar ele da sua lista de contatos porque, se isso acontecer, claramente tem alguém pouco se fudendo pra você na parada.

Pode ser que ele te ache louca? Pode. Mas fodassi. Tem 7 bilhões de pessoas no mundo, se ele achar, você arruma outro.

Era uma vez um cafajeste.

33873_151117248256990_1506405_n

Fui no mercado e pedi bom senso, eles não tinham, então comprei vodka.

A mais ou menos um mês atrás minha amiga me apresentou um amigo. Tudo começou bem, já tinha combinado com ela de sair, estava blaster animada pois no dia anterior tinha pego o inglês mais gato do planeta na vila madá #habemuscopa #europeuvaledoispontos, quando ela me avisa que um amigo dela vai vir buscar a gente, até ai zero problemas né, ia gastar menos de taxi. Eis que chega o cidadão, mais conhecido como problema, mais conhecido como cafajeste, mais conhecido como moreno, alto, bonito e sensual. Não estava preparada pra isso.

É sério isso gente, qual é a chance de uma amiga sua dizer que vai levar um amigo e o cara ser bonito? Eu não sei vocês, mas, até esse nego aparecer, isso nunca tinha me acontecido antes, é sempre “amiga você vai amar, ele parece o Ryan Gosling” e quando você vai ver o cara é um anão japonês que fala “tlinta e tlês”.

Mas ok, respirei fundo e entrei no carro afinal de contas, eu já estive na presença de outros caras gatos antes e sempre existe a chance de ele ser um completo idiota, o que anula qualquer boa impressão causada pela beleza. Não foi o caso, só pra constar.

Chegamos na balada, uma fila que ia daqui até Presidente Prudente, eu e minha amiga resolvemos ir comprar alguma coisa pra beber ali perto, os meninos ficaram na fila. Resolvi saber logo o briefing do menino, pra ver onde é que eu ia amarrar meu bode:

– Amiga, esse seu amigo é consideravelmente bonito né?!

– Sim, ele é.

– Mas vale menos que um tufo de cabelo né?!

-É, ele não vale nada, pegou uma amiga outro dia e depois sumiu, ela não ficou muito feliz.

Já resolvida que eu não ia me sabotar e colocar outro encosto na minha vida, voltei pra fila com o foda-se ligado. Entramos na balada, meninos para um lado meninas para o outro, resolvi que ia curtir e achar um bofe que não tivesse um “cachorrão” written all over it mass nesse meio tempo minha amiga, que estava falando com um peguete no whats, resolveu fazer um “after” com ele e pediu para o bofe ir busca-la na balada. E eu… e eu??

Eu fui acolhida pelos amigos dela, que muito gentilmente insistiram para que eu ficasse, dentre eles estando o grande problema da noite, o amigo gato. Sabe, eu acho que se ele fosse loiro eu não teria tantos problemas, é que a coisa do moreno realmente pega muito forte. Enfim, conversa pra cá, conversa pra lá, o menino chegou em mim, assim meio tímido, meio que uma sugestão, acho que ele já estava sentindo que eu não seria uma presa fácil…Naquela noite, claro, porque normalmente eu seria a melhor presa ever, aliás, desconfio que se ele tivesse esperado eu tomar mais duas doses de seja lá qual fosse o destilado da noite, eu mesma ia ter tomado a iniciativa. Mas não foi isso que aconteceu, eu ainda estava razoavelmente sóbria e disse que não, porque eu ainda sei o que é melhor pra mim. Mesmo assim o moço me alimentou com café e risadas, me deu carona até em casa e abriu a porta do carro pra mim.

Delicadeza, a gente ainda vê por aqui.

Semanas se passaram, combinei com uma amiga de ir pra uma festa de máscaras (muito amor pelo cara que teve essa idéia), amiga essa que, por acaso ou não, foi a mesma que me apresentou o Garoto Problema ali de cima e já que estava no clima de convidar, aproveitei e convidei ele também #ousadiaealegria. Ambos aceitaram, nos encontramos na festinha, minha amiga passou mal e foi pra casa, agora, adivinha quem sobrou? Sim Brasééll, eu e o moço. E nós dois. E uma festa cheia de desconhecidos.

Desfilou comigo a festa toda, até rolou umas quengas tentando pegar o bofe  distrações, mas no fim das contas ninguém pegou ninguém, nem eu, nem ele, nem eu e ele. Mas rolou conversa e risadas, empréstimo de cachecol e carona pra casa. O que já é muito, em comparação com os homens que eu ando conhecendo. Nesse momento acreditem, minha força de vontade estava trabalhando nonstop pra continuar me lembrando que APESAR de tudo, ele ainda era o cara que não valia um real. E digo isso não mais porque a minha amiga me contou, não, porque depois que comecei a conhecer o rapaz ele mesmo me contou isso, com histórias e exemplos pra ilustrar. Pois é meninas, estudos apontam que tá foda.

Bom, continuando, resolvi fazer um get together aqui em casa esse final de semana, chamei TODOS os meus amigos, todos miaram menos um, adivinhem só quem foi???? Sim, o próprio.

Eu estou começando a acreditar que Deus, ou seja lá qual é a entidade maior que rege o universo, está tentando, com muito afinco, me deixar sozinha com este rapaz. PORQUE NÃO É POSSÍVEL! Ou isso ou aquela história toda de mentalização está começando a funcionar muito sério, estou pensando em fazer o teste essa semana, jogando na loteria.

Enfim, Garoto Problema veio, trouxe um amigo legal, conversamos, bebemos e resolvemos ir para um aniversário de um amigo dele, que estava acontecendo na portaria do inferno aparentemente, já que eu nunca vi tanta gente feia junta na vida. Com exceção dos amigos, já que alguns eram até bem apresentáveis. Mas novamente nada aconteceu, resolvemos ir embora, porque o amigo dele estava concordando comigo na coisa do inferno, só que ele queria ir pra casa e eu queria ir pra gandaia. Então tivemos uma idéia brilhante “vamos levar meu amigo pra casa e depois a gente vê o que faz”, ótimo né?! Todo mundo fica feliz, todo mundo ganha o que quer, certo? Errado.

Gente, conselho pra vida: Se você estiver fazendo um esforço consciente pra não pegar um cara, seja porque você sabe que ele não presta, seja porque ele é ex da sua amiga, ou qualquer outro motivo que te faça acreditar que aquilo vai dar merda, NÃO- FIQUE- SOZINHA- COM- ELE. Obrigada. De nada.

Claro que no longo caminho até a casa do amigo rolaram várias outras idéias brilhantes do tipo:

Amigo: Dorme na minha casa, amanhã eu te levo.

Amigo: Vamos todos dormir na minha casa.

Problema: Dorme na minha casa, você pode ficar no quarto de hóspedes, amanhã te levo.

E é mais do que óbvio que eu não aceitei nenhuma dessas propostas, porque isso aqui não é a casa da sogra, mas então surgiu uma proposta que me pareceu até aceitável (bêbado é uma desgraça), assistir filme na minha casa não era tão ruim, afinal de contas, porque não?! Já era tarde, ou cedo, dependendo do ponto de vista, as baladas já estavam fechando, não tinha mais muitas opções e no fim, a casa é minha, eu faço as regras, nada ia acontecer…né?!

Posso garantir uma coisa pra vocês, se eu tivesse a mesma força de vontade que eu tive com este moleque no meu regime, eu estaria com o corpo de uma Angel da Victoria’s Secret, porque nada aconteceu mesmo. Ele veio aqui, colocamos um filminho, deitamos no sofá de conchinha (porque, é o que eu queria saber) e nada aconteceu, porque eu não quis. Isso sim é uma teimosia sem tamanho. É claro que me arrependi assim que ele saiu pela porta, ás 9 da manhã, mas tudo bem porque o arrependimento passou assim que ele foi seco comigo no whatsapp mais tarde naquele dia. Porque mulher é assim, pode ter acertado 1000 vezes, se cagou uma, É DISSO QUE A GENTE VAI LEMBRAR.

Enfim, agora eu estou em um dilema (lembrando que o dilema é só meu, visto que o cidadão está cagando E andando para a minha pessoa), não sei se eu ligo o foda-se de uma vez e mando o boy pra escanteio, já que homem é uma coisa que não falta nesse mundo, ou se eu mantenho a amizade, ou se eu deixo rolar, ou se eu compro uma bicicleta, ou se eu caso,…

Tô sabendo porra nenhuma, mas essa história está acumulando muito drama e como eu sou péssima em lidar com drama eu acho que vou dar um tempo pra tudo isso esfriar e arrumar uns bofes novos.

Como diria Banks:

“Cause I’m a goddess, you never got this.”